Palmeiras espera pedreira contra o Fluminense no sábado

Com jogadores suspensos para o confronto pelo Brasileiro, Luxemburgo terá problemas para montar o time

Juliano Costa, Jornal da Tarde

23 de outubro de 2008 | 18h58

Um adversário mordido, motivado, desesperado por uma vitória para sair da humilhante zona do rebaixamento e num Maracanã que promete estar lotado. É isso o que o técnico Vanderlei Luxemburgo espera que o Palmeiras vai encontrar neste sábado, no jogo contra o Fluminense, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Uma pedreira. Veja também: Resultados e calendário do Campeonato Brasileiro Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão Bate-Pronto: Paradinha no pênalti, vale ou não? O time carioca teve a semana para treinar, enquanto o Palmeiras encarou uma batalha com o Argentinos Juniors pela Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira. O Fluminense luta para não cair, e o Palmeiras quer o título. O tropeço na Sul-Americana não abala o grupo para o Brasileirão, jura Luxemburgo. "São competições distintas e esse jogo com o Argentinos Juniors já foi esquecido. Meus atletas sabem diferenciar as duas competições e no sábado vamos ao Rio de Janeiro para jogar uma verdadeira decisão. Será um jogo muito complicado, e o fato de o Fluminense estar nas últimas colocações em nada vai deixar o jogo mais fácil. Pelo contrário: quem está embaixo na tabela joga seu jogo da vida." Foi pensando nessa decisão que Luxemburgo poupou oito titulares do Palmeiras na quarta-feira: Martinez, Gustavo, Pierre, Sandro Silva, Elder Granja, Leandro, Kléber e Alex Mineiro. Só o goleiro Marcos e os suspensos Roque Júnior e Diego Souza foram escalados. "Eu não poderia correr o risco de expor meus jogadores a lesões se tenho uma decisão pela frente", justificou o treinador. A grande dúvida é a escalação de Martinez, que sofre com uma lesão muscular na coxa esquerda desde a semana passada e, por isso, ficou fora do clássico com o São Paulo. Ele faz tratamento intensivo. Se for novamente vetado pelos médicos, Luxemburgo ficará com dificuldade para montar o time no 3-5-2. Para manter esse sistema de três zagueiros, o técnico teria de colocar Gladstone ou Paulo Miranda, que atuaram sem brilho na quarta-feira. A opção é usar o 4-4-2, com Gustavo e Maurício formando a dupla de zaga. No meio-de-campo, jogariam Pierre, Sandro Silva, Jumar e mais o substituto de Diego Souza, ainda indefinido. Evandro, Denilson e Maicosuel são as opções. No ataque, Kléber e Alex Mineiro estão confirmados, apesar de o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) estar de olho neles. O primeiro será novamente julgado por uma cotovelada em Asprilla, do Figueirense. Ele foi absolvido no julgamento anterior, mas a procuradoria recorreu. Já o segundo pode ser indiciado por suposta cotovelada em Rodrigo, do São Paulo. O procurador-geral do tribunal, Paulo Schmitt, pediu a fita do jogo para procurar o lance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.