Sergio Neves/AE
Sergio Neves/AE

Palmeiras: estabilidade em 2011 só com o título da Sul-Americana

Este é o pensamento do técnico Luiz Felipe Scolari, que precisa de muita paciência para buscar reforços e aturar a briga interna dos dirigentes

ANDRÉ RIGUE - estadão.com.br

16 de novembro de 2010 | 10h15

SÃO PAULO - O futuro do Palmeiras é incerto. O técnico Luiz Felipe Scolari sabe bem disso. Para garantir investimentos e montar uma equipe forte para 2011, o treinador precisará ganhar a vaga na Copa Libertadores. Como no Brasileirão o alviverde já jogou a toalha, a única alternativa é conquistar o título da Copa Sul-Americana. Nesta quarta-feira, tem o primeiro duelo diante do Goiás, no Serra Dourada, pelas semifinais.

 

Veja também:

linkRivaldo não se recupera e desfalca Palmeiras na quarta

BATE-PRONTO - forum Felipão: 'Dava pênalti para o Corinthians e para o Cruzeiro'

 

"Tenho a convicção de que o Palmeiras precisa desse título. Procuro passar isso para os jogadores", afirma Felipão. "A gente sabe que tem adversários complicados pela frente numa eventual final. A LDU é muito forte e jogar contra o Independiente na Argentina não é fácil. Mas temos de atingir o nosso objetivo final. Eu sei do que meus jogadores são capazes. Por isso deixamos o Brasileirão de lado."

 

Felipão está preocupado com a lista de reforços para o próximo ano. O treinador teme que as eleições no Palmeiras [em janeiro de 2011] deixam a montagem do elenco em segundo plano. "Aqui em vez de se ajeitar tudo e buscar uma união, tem sempre um probleminha ou outro. Acho que o estatuto deveria mudar para as eleições acontecerem em outubro. O Goiás [adversário do Palmeiras na Sul-Americana] também tem uma situação muito parecida com a nossa internamente."

 

A preocupação de Felipão é tanta que mesmo no meio da disputa das semifinais da Sul-Americana ele precisou encontrar um tempo para conversar com o presidente Salvador Hugo Palaia para discutir a lista de reforços. "A gente precisa de um planejamento antes das eleições. Tive uma conversa com o Palaia e perguntei dos reforços. A resposta me deixou feliz. Ele disse: 'eu sou presidente até janeiro, então sou eu o responsável pelas contratações'".

 

As últimas rodadas do Brasileirão servirão para Felipão observar jogadores dos juniores do Palmeiras. "Não esqueça que meu grupo é pequenino. Perder de dois, três ou quatro gols no Brasileirão não vai importar mais. Temos de jogar duas competições, então o foco é a Sul-Americana. Em 2011 espero ter um grupo organizado, com mais um meia de criação e um lateral-direito. Nunca escondi de minha torcida que nesse ano o trabalho seria de reestruturação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.