Palmeiras falha em nova tentativa de liberar Keirrison

Diretoria do Coritiba rejeita oferta do clube paulista e opta por manter o jogador até o mês de abril

Agencia Estado

13 de janeiro de 2009 | 21h15

O vice-presidente de futebol do Palmeiras, Gilberto Cipullo, foi nesta terça-feira a Curitiba fazer nova proposta para a liberação imediata do atacante Keirrison. Mas a diretoria do Coritiba rejeitou a oferta palmeirense, optando por manter o jogador até o final do seu vínculo, em abril - depois disso, ele segue para o Palestra Itália.Veja também:Luxemburgo escala pela primeira vez o Palmeiras completoTraffic promete mais dois reforços ao PalmeirasConfira as novidades do mercado do futebol Paulistão 2009 - Tabela Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO Palmeiras ofereceu cerca de R$ 1 milhão e ainda tentou empurrar jogadores por empréstimo, como Enílton, Osmar, Marcelo Costa e até dois que treinam com o grupo em Atibaia: Jeci e Lenny. O Coritiba não aceitou, pois quer R$ 2 milhões. "Não precisamos de mais atletas. Já estamos bem servidos. Queremos uma boa compensação para liberar o Keirrison", disse o presidente do clube paranaense, Jair Cirino.Assim, Cipullo voltou para São Paulo de mãos abanando, mas não pretende desistir facilmente. Vai tentar levantar o dinheiro com empresários ou mesmo com a Traffic, que já adquiriu 80% dos direitos de Keirrison - o problema são os outros 20%, que pertencem ao Coritiba até abril. No acordo com a Traffic, cabia ao Palmeiras negociar a liberação com o Coritiba, porque a parceira já havia feito a maior parte do investimento. "Se o Palmeiras não pagar o que a gente quer, não tem problema. O Keirrison fica jogando aqui até o fim de abril e depois fica livre para jogar onde quiser, até mesmo no Palmeiras", disse Jair Cirino.Marcos Malaquias, empresário de Keirrison, admite que esperava uma postura menos radical da diretoria do Coritiba. "Não dá para entender o que o Coritiba está fazendo. Nunca vi isso no futebol. Eles preferem ficar sem receber nada a aceitar a proposta do Palmeiras, que é muito boa, levando-se em conta que eles só têm mais três meses de contrato com o Keirrison", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.