Palmeiras fará obra antitorcedor

Torcedor é sempre muito bem-vindo, exceto quando passa dos limites, diz a cúpula do Palmeiras. Como nos últimos meses eles vêm exagerando nas críticas, cobranças e tendo muita liberdade, o presidente Mustafá Contursi e os conselheiros aprovaram projeto que os afastará do clube. Dentro de algumas semanas, deverá ser iniciada obra no Palestra Itália para impedir que o torcedor trafegue livremente pelas instalações do estádio, como ocorre atualmente na entrada pela Rua Turiaçu. Um túnel levará o palmeirense da rua diretamente para a arquibancada. Assim, apenas os sócios poderão circular nessa área.A medida, além de dar mais liberdade ao associado, tem por objetivo reduzir um pouco o espaço do torcedor comum. Os dirigentes estão preocupados com a atitude de algumas pessoas. Na quarta-feira, por exemplo, após a trágica eliminação para o ASA de Arapiraca, pela Copa do Brasil, dezenas de palmeirenses tentaram agredir o diretor de Futebol Sebastião Lapola. Os jogadores e o técnico Vanderlei Luxemburgo tiveram de deixar o Palestra Itália escoltados por seguranças para não apanhar. "Nunca tinha visto nada igual nesse tempo todo de Palmeiras", afirmou o meia Alex, assustado com a situação. Ele foi o principal alvo dos protestos.No ano passado, muros do estádio foram pichados e alguns portões, depredados. A pressão contra o então técnico Celso Roth foi grande. Por isso, a diretoria resolveu demiti-lo durante o Campeonato Brasileiro. O time era líder, mas despencou e acabou sendo eliminado ainda na primeira fase. "Não podemos nos preocupar com isso (torcida), temos de pensar em jogar", completou Alex, referindo-se à partida de domingo, contra o América-RJ, pelo Rio-São Paulo.A revolta, porém, não atinge só a torcida. Após o jogo contra o ASA, o presidente Mustafá Contursi ficou por quase duas horas trancado em sua sala, acompanhado de Cláudio Mezzarane, presidente do Conselho Deliberativo, e Osvaldo Rico, presidente do Conselho de Orientação Fiscal. O dirigente estava arrasado. Em meio à crise financeira do futebol, uma competição como a Copa do Brasil pode ajudar na receita do clube. Mas a desclassificação na primeira fase vai representar menos receita e mais prejuízo.Farpas - O grande culpado na opinião dele foi o técnico Vanderlei Luxemburgo, que escalou três volantes contra o ASA. Mustafá já havia manifestado sua insatisfação com o esquema na véspera da partida. "Em vez de reclamar para a imprensa, ele deveria falar comigo", esbravejou o treinador. Luxemburgo não corre, por enquanto, nenhum risco de ser demitido.Nesta quinta-feira, o diretor de Futebol Américo Faria despediu-se do grupo. Ele assumirá cargo administrativo na seleção brasileira. A partir de agora, o coordenador Márcio Araújo passará a fazer sua função ao lado de Lapola. No domingo, o time não terá Magrão, contundido. O lateral Adauto deve ir para a reserva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.