Palmeiras fará superfesta para Edmundo

Edmundo participou ontem de um jogo festivo no Palestra Itália e já deu entrevistas como jogador do Palmeiras. Mas sua apresentação oficial deve demorar um pouco mais para acontecer. Segundo o diretor de futebol do Verdão, Salvador Hugo Palaia, a espera vai valer a pena. ?Queremos inovar e fazer uma ?superapresentação?. A idéia seria abrir o Palestra Itália para que ele vestisse a camisa e fosse saudado por toda a torcida?, diz Palaia. A inspiração vem da Europa. Lá, é costume os clubes realizarem festas pomposas de apresentação de reforços à torcida ? o jogador veste o uniforme, faz ?embaixadinhas?, acena e joga camisas para os torcedores. ?Queremos acabar com a mesmice que é a apresentação de jogador aqui. De repente, podemos até apresentar vários de uma vez só. O Paulo Baier, por exemplo, poderia ser apresentado assim?, diz o diretor de futebol do Verdão. Mas a demora para apresentar Edmundo não é apenas mais um ?capricho? de Palaia. O dirigente explica: ?Ele não pode vestir a camisa do Palmeiras porque ainda está vinculado ao Figueirense (o contrato expira dia 31). O advogado dele está tentando a liberação, mas enquanto isso não acontecer, o Edmundo não pode ser apresentado como jogador do Palmeiras?. Com exceção desse problema burocrático, já está tudo acertado entre o Animal e o Verdão. O contrato será de um ano e sem multa rescisória. Já a contratação do atacante Enílton, antes dada como certa, sofreu um retrocesso. ?Quando viram na imprensa que a gente tinha interesse no jogador, apareceram vários outros (clubes) também interessados?, diz Palaia, resignado. Para ter Enílton agora, o Palmeiras vai ter que aumentar sua oferta ao Vitória, clube com o qual o atacante tem vínculo até julho ? ele jogou o Brasileirão pelo Juventude e fez 17 gols. Palaia não revela o valor, mas espera contornar logo a situação. ?Ainda estou esperançoso?. Como o Vitória caiu para a Série C do Brasileiro, Enílton deverá ser mesmo liberado. Com o atacante, Palaia já tem tudo apalavrado. Por isso, o cartola compara a situação de Enílton à do lateral Paulo Baier, assediado pelo São Paulo depois que vazou a notícia de que ele já tinha assinado um pré-contrato com o Palmeiras. ?Neste caso, valeu a palavra do Baier?, diz Palaia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.