Palmeiras faz 2 a 0 no São Paulo e vai à final do Paulistão

Gols de Léo Lima e Valdívia garantiram a vaga em jogo nervoso; time alviverde volta a uma final após nove anos

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

20 de abril de 2008 | 18h13

O Palmeiras está de volta a uma final de Campeonato Paulista depois de nove anos e tem a chance de acabar com o jejum de 12 anos sem títulos na competição. A classificação para a decisão contra a Ponte Preta foi obtida com a vitória por 2 a 0 sobre o arqui-rival São Paulo na tarde deste domingo, no Estádio Palestra Itália, em um jogo nervoso e cercado de problemas.Veja também: Assista, na TV Estadão, aos gols do clássico Cheiro de gás fez o São Paulo ficar no campo no intervalo Léo Lima: 'Nosso elenco é muito melhor que o do São Paulo' São-paulinos reconhecem que time não merecia vencer Ouça os gols da partida, pela rádio Eldorado/ESPN As torcidas e o jogo no Estádio Palestra Itália Vote: qual time vai ser o campeão de 2008?Foi a primeira vez que o time alviverde eliminou os são-paulinos em uma fase decisiva. Independente disso, o que vale para as torcidas a partir de agora é a expectativa pela final. O time alviverde tem a vantagem de jogar em casa a segunda partida - a primeira final provavelmente será em Campinas, no domingo que vem, às 16 horas - e faz uma final inédita. O técnico Vanderlei Luxemburgo tentará um tricampeonato e a equipe campineira acabar com o fato de nunca ter sido campeã estadual em 107 anos de existência.Os problemas que começaram durante a semana, com discussões e acusações, se seguiram no jogo, com os são-paulinos acusando os palmeirenses de usar um gás para impedi-los de usar o vestiário no intervalo e causar um blecaute na iluminação do estádio logo após o segundo gol, no fim da partida. Por causa disso a partida ficou 16 minutos parada. PALMEIRAS 2Marcos; Élder Granja    , Gustavo, Henrique e Leandro, Martinez    , Léo Lima, Diego Souza (Wendel) e Valdivia    ; Kléber (Denílson) e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo  SÃO PAULO 0Rogério Ceni; Alex Silva, André Dias     e Miranda; Joílson (Sérgio Motta), Fábio Santos    , Hernanes, Jorge Wagner     e Júnior; Dagoberto     e Adriano. Técnico: Muricy Ramalho Gols: Léo Lima, aos 22 minutos do primeiro tempo; Valdivia, aos 38 minutos do segundo tempo.Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP).Renda: R$ 1.144.355,00.Público: 27.680 pagantes.Estádio: Palestra Itália, em São Paulo (SP)Nem os jogadores escaparam das discussões. Rogério Ceni e Alex Silva foram para cima do meio-campista chileno Valdívia por causa de uma suposta provocação na comemoração do segundo gol do jogo (mexeu os braços como quem dizia 'acabou'), quando o jogo estava parado. Fora os bate-bocas constantes entre os jogadores durante os noventa minutos.BOLA ROLANDOEm campo, porém, com a bola rolando, o jogo foi bem distinto. Se no primeiro tempo os dois times mais se estudaram do que jogaram, no segundo tempo foi a eficiência palmeirense nos contra-ataques que lhe garantiu a vitória, mesmo com a pressão do São Paulo o tempo todo.Foi num lance individual que o Palmeiras abriu o placar, aos 22 minutos da etapa inicial, num chute da intermediária, de pé direito e forte, que Rogério Ceni bobeou e errou ao tentar imaginar o lado em que a bola iria. Esse gol deu a vantagem que o técnico Vanderlei Luxemburgo queria para ter o controle da partida.No segundo gol do Palmeiras, o contra-ataque criado por Wendel, aos 38 minutos da etapa final, que fez toda a jogada e passou para Valdívia marcar, foi fundamental. A torcida alviverde explodiu em festa e agora aguarda a decisão do campeonato.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasSão Paulo FCPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.