Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras faz 3 a 0 no Fluminense e pode ser campeão já no domingo

Time líder do Brasileiro completa um turno inteiro invicto e espera combinação de resultados para confirmar título no fim de semana

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2018 | 23h37

A conquista do decacampeonato é cada vez uma mera questão matemática para o Palmeiras. O líder do Campeonato Brasileiro bateu nesta quarta-feira o Fluminense, por 3 a 0, em um gramado ruim no Allianz Parque e com uma série de feitos a comemorar. O time completou um turno inteiro sem perder (19 rodadas), disparou ainda mais na primeira posição e pode ser campeão no domingo.

A marca atingida de 70 pontos é bastante expressiva para o Palmeiras, independentemente da situação dos concorrentes diretos. Com uma vitória a mais nos quatro jogos restantes no Brasileiro, a equipe soma 73. Em toda a história dos pontos corridos este número foi suficiente para se sagrar campeão, pois jamais um vice-campeão fez mais de 72 pontos.

A briga pode se encerrar já no próximo domingo. Se nesta quinta-feira e no final de semana o Flamengo não vencer um dos seus compromissos e o Inter não somar mais de dois pontos, bastará ao Palmeiras bater o lanterna e já rebaixado Paraná. A partida será em Londrina, onde o clube alviverde tem bastante torcida. Se não perder, o time do Felipão chegará ao recorde de 20 partidas seguidas de invencibilidade no Brasileiro.

O Palmeiras em contagem regressiva para o título mostrou uma virtude muito importante para quem está nessa posição: a paciência. A equipe encontrou no primeiro tempo dificuldades para superar a marcação do Fluminense. Mesmo assim, não se desesperou e mostrou confiança em insistir, criar chances e aguardar a hora de as investidas finalmente darem certo.

O gramado estava com manchas amarelas e aspecto ruim. Maltratado pelo show de sábado e pela troca recente, o piso levou a partida ter mais lançamentos do que troca de passes. O jogo ficou mais lento. O nível técnico caiu.

O obstáculo dificultou os avanços do Palmeiras. Apesar do domínio, a equipe não forçou o ritmo e chegou ao gol aos 40 minutos. Em uma boa chegada pela esquerda, o cruzamento de Diogo Barbosa sobrou para Borja completar.

A vantagem de 1 a 0 deu ao Palmeiras o conforto de continuar a administrar a vantagem. O segundo tempo teve o Fluminense mais avançado em campo. Do lado alviverde, quem tentava acelerar o ritmo de jogo e fazer algo diferente era Dudu. O atacante voltava para buscar a bola na defesa e arriscava jogadas individuais.

O jogo controlado não estava definido. E quem parecia mais disposto nessa missão era Dudu. O atacante puxou contra-ataque aos 30 minutos e serviu para Gustavo Scarpa quase marcar. O goleiro Júlio César evitou que o ex-jogador do Fluminense marcasse diante do clube contra quem tanto brigou na Justiça.

Nos minutos finais Felipão tirou Lucas Lima e colocou Felipe Melo para tentar segurar o jogo. Mas acabou por definir o resultado. O volante arrematou de primeira a sobra de um cruzamento. Acertou no ângulo e fez um golaço, aos 37 minutos do segundo tempo. Ainda teve tempo para o zagueiro Luan, de cabeça, anotar o terceiro aos 44 minutos do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 3X0 FLUMINENSE

PALMEIRAS: Weverton; Mayke (Jean), Luan, Gómez e Diogo Barbosa; Thiago Santos, Bruno Henrique, Lucas Lima (Felipe Melo); Willian (Scarpa), Dudu e Borja. Técnico: Luiz Felipe Scolari

FLUMINENSE: Júlio César; Igor Julião, Paulo Ricardo, Digão e Ayrton Lucas; Jadson, Richard e Sornoza; Junior Dutra (Kayke), Luciano (Marcos Junior) e Cabezas (Everaldo). Técnico: Marcelo Oliveira.

Gols: Borja, aos 40 minutos do primeiro tempo. Felipe Melo, aos 37, e Luan, aos 44 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Bráulio Machado

Cartões amarelos: Paulo Ricardo, Borja, Richard, Jadson, Diogo Barbosa, Thiago Santos, Lucas Lima, Digão, Kayke, Luan, Scarpa

Cartão vermelho: Jadson

Renda: R$ 2.480.931,96

Público: 37.430 torcedores

Local: Allianz Parque, em São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.