Palmeiras faz 5 a 2 no Bragantino em jogo polêmico

Árbitro Paulo César de Oliveira exagera - e erra - em cartões e em lances decisivos da partida no interior

Rafael Argemon, estadao.com.br

09 de março de 2008 | 17h58

Em um jogo movimentado e com uma fraca atuação do árbitro Paulo César de Oliveira, o Palmeiras, neste domingo, conseguiu uma importante vitória de virada por 5 a 2 sobre o Bragantino, em Bragança Paulista (SP), e pode dizer que embalou de vez no Paulistão.     Veja também:  Marcos: 'Dei um chute de leve, sem intenção de agredir' Luxemburgo é só elogios ao árbitro Paulo César de Oliveira Classificação Últimos resultados / Próximos jogos   O primeiro tempo foi eletrizante. Muito disputado, pegado, cheio de cartões amarelos e vermelhos, além de quatro gols, dois para cada lado. Mas, o maior destaque da etapa inicial acabou sendo o árbitro Paulo César de Oliveira, que se confundiu em diversos lances e prejudicou as duas equipes, com expulsões injustas e marcações de falta invertidas.A partida começou movimentada desde o primeiro minuto, com o Bragantino tendo a primeira grande chance. Aos 11 minutos, Nunes sobe mais que a zaga palmeirense e obriga o goleiro Marcos a fazer uma ótima defesa. E não demorou muito para os donos da casa abrirem o placar. Aos 16, Paulinho fez uma boa tabela com André Gaspar, que invade e dá sorte com Henrique, que falha no domínio da bola. O zagueiro é driblado e o meia do Bragantino só toca para o gol.Sete minutos depois do primeiro gol da partida, aconteceu um dos lances mais polêmicos do jogo. O atacante Malaquias disputa a bola com Marcos e deixa o pé na barriga do goleiro palmeirense, que revida e acerta o adversário com um chute, tudo no salto. Paulo César de Oliveira viu apenas a agressão do goleiro e o expulsou de campo, além de dar pênalti a favor dos donos da casa. Nunes bateu e marcou 2 a 0 Bragantino.Mas quando tudo parecia perdido para o Palmeiras, Diego Souza, aos 36, consegue fazer uma boa jogada pela direita e acerta um ótimo chute cruzado que entra no canto direito de Gléguer. Indício de reação.Com o gol, os visitantes se empolgaram e partiram para cima do Bragantino, que não demorou muito a perder a vantagem de ter um jogador a mais em campo. César Gaúcho, que já tinha amarelo, não faz falta em Valdivia, que caía em todas as divididas. Paulo César de Oliveira entra na do chileno e dá o segundo amarelo ao volante do time alvinegro. Logo após a expulsão do jogador do Bragantino, aos 40, Pierre acerta um forte chute, Gléguer dá rebote e Valdivia, esperto, aproveita e empata a partida.Já no final da primeira etapa, o calvário do Bragantino tem mais um capítulo. Da Silva derruba Kleber - que iria ficar na cara da meta de Gléguer - e recebe o cartão vermelho.Ao contrário do que se podia esperar, o técnico Palmeirense Vanderlei Luxemburgo não criticou a arbitragem e só reclamou de uma marcação errada de Paulo César de Oliveira. "As expulsões foram justas, acho que ele errou apenas em não dar cartão para o jogador do Bragantino [Malaquias] que fez falta no Marcos", disse o treinador. BRAGANTINO2Gléguer; Da Silva    , Cris e Hugo    ; Niander    , César Gaúcho        , André Gaspar (Mário), Zeziel     e Paulinho; Nunes (Rubens) e Malaquias (Adriano)Técnico: Marcelo Veiga PALMEIRAS5Marcos    ; Élder Granja, Gustavo    , Henrique     e Leandro; Pierre, Léo Lima, Diego Souza     e Valdivia     (Lenny); Kléber (Denilson) e Alex Mineiro (Diego Cavalieri)Técnico: Vanderlei LuxemburgoGols: Paulinho, aos 16 minutos, Nunes, aos 26, Diego Souza, aos 36, e Valdivia aos 40 do primeiro tempo; Leandro, aos 3 minutos, e Denilson, aos 32 e aos 46 do segundo tempoÁrbitro: Paulos César de OliveiraRenda: R$ 212.186,00Público: 6.617 pagantesEstádio: Marcelo StefaniVIRADA E MAIS ERROSO segundo tempo começou tão movimentado quanto a primeira etapa, e ainda melhor para o Palmeiras, que logo aos três minutos conseguiu a virada. Kleber achou Leandro livre na grande área e deu um belo passe para o lateral-esquerdo, que teve calma para chutar e balançar as redes do gol de Gléguer.Com o gol, o Bragantino sentiu a pressão e o Palmeiras passou a comandar o jogo, deixando-o mais cadenciado. Mas, aos 26, mais um erro clamoroso do árbitro. Cris desarmou Denilson na área do Bragantino, mas Paulo César de Oliveira marcou pênalti. Léo Lima foi para a cobrança e errou feio, chutando a bola bem acima das traves dos donos da casa.Aos 32 minutos aconteceu a jogada que decidiu a partida, que teve a participação dos dois grandes destaques palmeirenses do jogo, Diego Souza e Valdivia. O autor do primeiro gol palmeirense acertou um excelente lançamento para o chileno, que driblou Cris e Gléguer e só rolou a bola para Denilson (substituto de Kléber), que teve apenas o trabalho de tocar para o fundo das redes: 4 a 2. Foi o primeiro gol do atacante com a camisa do time alviverde.Já nos descontos, o mesmo Denilson ainda fez mais um gol, ajudado pelo 'morrinho artilheiro': chutou rasteiro em cima do goleiro do Bragantino, mas a bola quicou no momento da defesa de Gléger e enganou o arqueiro alvinegro. Assim, fechou a vitória e o placar de 5 a 2 para o time alviverde. NA TABELACom a vitória, o time alviverde consegue chegar aos 22 pontos e fica perto da zona de classificação (os quatro primeiros lugares) para as semifinais do Estadual. Além disso, soma sua segunda vitória seguida, mostrando que está no caminho para chegar à fase decisiva. Por outro lado, para o Bragantino, a derrota o mantém com 18 pontos e em posições intermediárias na classificação. Na próxima rodada, um páreo duro para ambos: o time da capital enfrentará a Ponte Preta em casa, na quarta, às 21h45, enquanto que o time do interior pegará o Sertãozinho, um pouco antes - às 19h30 -, adversário direto na briga por uma melhor posição na classificação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.