Palmeiras faz revanche com o Vitória

Os palmeirenses admitem que enfrentar o Vitória tem gostinho especial, embora queiram apagar da memória o último confronto com os baianos. Foi o time de Salvador que deu o empurrão no Palmeiras para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro, em novembro do ano passado. A torcida e os jogadores querem revanche no duelo desta quarta-feira, às 21h40, no Palestra Itália, pela Copa do Brasil. ?O Vitória ficou marcado, não tem jeito, a gente sofreu bastante com aquela derrota?, declarou o atacante Muñoz, lembrando da derrota por 4 a 3, que resultou no rebaixamento. A preocupação do técnico Jair Picerni, porém, não é apenas com os jogadores rivais. Ele teme que os torcedores, ou parte deles, se tornem mais um adversário. A Mancha Alviverde ameaça fazer protesto contra alguns atletas, principalmente contra os recém-contratados. O treinador enfatizou, assim, a necessidade de o elenco estar bem preparado emocionalmente. ?Não podemos deixar que isso nos prejudique.? Como se não bastassem os problemas existentes, Picerni perdeu Pedrinho, com contratura na coxa direita. De acordo com os médicos, o meia ficará afastado por cerca de seis semanas e desfalcará o time em pelo menos oito rodadas da Série B. O substituto será Zinho. No treino desta terça-feira, o zagueiro Índio se machucou e, em seu lugar, entrará Gustavo. Aborrecido com as baixas de última hora e com a escassez de opções, Picerni resolveu se precaver e cancelou o treinamento da tarde, com medo de novas contusões. Bom ambiente ? Apesar das adversidades e de não entrar em campo como favorito, o ambiente no Palmeiras é bom. O clima de rivalidade que existia no ano passado foi abolido e parte dessa mudança deve-se ao bom relacionamento com a comissão técnica. Otimistas, os líderes do grupo, Marcos e Magrão, além de Picerni, vêm alertando para a necessidade de um bom resultado nesta partida. Acreditam ser tão ou mais importante do que as primeiras rodadas da Série B. ?Se vencermos uma equipe como o Vitória, ganharemos confiança?, disse Picerni. ?Mostramos que temos condições, pois vencemos, por exemplo, o São Caetano?, observou Magrão. De acordo com Marcos, uma boa campanha na Copa do Brasil dará bastante confiança para que o grupo também tenha bom desempenho no Brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.