Palmeiras faz sua "final" contra Flu

O jogo contra o Fluminense, neste domingo, às 16h, no Maracanã, é mais do que uma decisão para o Palmeiras. Além da quarta colocação no Campeonato Brasileiro, o time luta pela chance de disputar a repescagem da Libertadores de 2005, contra o Tacuary, terceiro colocado paraguaio. E mais: se a equipe voltar à competição sul-americana, o presidente Mustafá Contursi já acenou com a possibilidade de reforçar consideravelmente o elenco no ano que vem.Apesar das boas perspectivas para o futuro, o técnico Estevam Soares quer o time concentrado só na vitória sobre o Fluminense. Ganhar os três pontos neste domingo é o ponto de partida para tudo - inclusive em relação ao planejamento para 2005. A responsabilidade é tamanha que o treinador resolveu antecipar a concentração para sábado. E ainda prometeu escalar - dentro do possível, já que 14 jogadores já foram liberados para as férias - a força máxima neste domingo, contra o Flu. "Inclusive o Magrão", acrescenta o próprio Estevam.Magrão é um jogador fundamental para as pretensões palmeirenses. Não só pela liderança que exerce sobre o elenco, mas principalmente por seu estilo guerreiro. "Ele é um jogador importantíssimo para o esquema e para o grupo. Transmite liderança, força, vontade. E o melhor: apesar de estar negociando a sua transferência, está interessadíssimo em ajudar o Palmeiras a se classificar para a repescagem da Libertadores" assegura o treinador.Na palestra informal aos jogadores, na sexta-feira, na chegada à concentração, Estevam já avisou: "O Palmeiras vai ter que jogar como nunca, no Maracanã". O técnico quer que sua equipe não repita o vacilo do Campeonato Brasileiro, quando deixou escapar a chance de brigar pelo título na derrota para o Guarani, em pleno Parque Antártica. "Perdemos a concentração na hora que não podia. Não podemos repetir o erro agora".O Palmeiras, na verdade, depende apenas de sua capacidade. Mesmo que o São Caetano recupere no STJD os 24 pontos perdidos em primeira instância pela morte de Serginho, se o Palmeiras vencer o Fluminense, será impossível para o São Caetano alcançá-lo, mesmo com uma eventual vitória sobre o Atlético-MG. "Dependemos apenas da gente. Basta vencermos o Fluminense", avisa o treinador palmeirense. "É uma missão difícil? Claro que é. Temos capacidade para isso? Claro que temos. Só não podemos perder a concentração".Ao contrário do que muitos palmeirenses imaginavam, o adiamento do recurso do São Caetano no STJD para terça-feira deixou Estevam satisfeito. O técnico entende que toda a rodada do Campeonato Brasileiro foi beneficiada. "E isso vale até mesmo para o São Caetano, que vai jogar muito mais motivado contra o Atlético-MG", acrescenta.No caso do Palmeiras, também foi positiva a mudança. O time terá a chance de ratificar no campo, uma classificação (para a Libertadores) que poderia ter sido ganha com a ajuda do chamado tapetão. "Será muito melhor decidir no campo do que no tapetão. Nem a torcida, que é passional, fica totalmente satisfeita quando você alcança um objetivo com a ajuda do regulamento ou de uma decisão do tribunal", observa Estevam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.