José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Palmeiras faz treino secreto e jogadores cobram pênaltis

Equipe realizou o último treino antes da partida decisiva contra o Bragantino

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

26 de março de 2014 | 12h49

SÃO PAULO - No último treino antes da partida contra o Bragantino, válida pelas quartas de final do Campeonato Paulista, o técnico Gilson Kleina resolveu fazer um trabalho fechado, sem a presença da imprensa, e deixou claro que pode escalar o Palmeiras com surpresas. Quando a atividade foi liberada para a entrada de jornalistas, alguns atletas treinavam cobranças de falta enquanto outra parte do grupo batia pênaltis.

Na atividade desta quarta-feira, Bruno César, Mendieta, Wesley e Lúcio treinavam faltas. O destaque foi Bruno César, que teve um aproveitamento excelente e chegou a marcar cinco gols em seguida. Nas poucas bolas dele que não iam para a rede, paravam na trave ou nos goleiros.

No outro lado do campo, Marcelo Oliveira, Wendel, Tiago Alves, Juninho, Valdivia e Alan Kardec treinaram pênaltis. Anteriormente, todo o elenco também treinou. Mesmo porque, a vaga na semifinal do Paulistão pode ser definida nos pênaltis, caso o jogo desta quinta-feira, contra o Bragantino, no Pacaembu, termine empatado.

"Nada contra o trabalho da informação, mas queríamos ter privacidade para definir algumas coisas necessárias e fazer algumas jogadas. Entendemos agora que é uma fase final, um jogo só e se as coisas não funcionarem do jeito que a gente pensa, tem que tentar outra opção", explicou o treinador.

Em relação ao time, Gilson Kleina avisou que não devem ter muitas mudanças. "O que trouxe o Palmeiras para o campeonato que fez foi essa estrutura. Não vamos mudar o time. Quem enfrenta a gente, vem com marcação forte. Acredito que para esse jogo, a vantagem é só jogar em casa, do lado do torcedor", avaliou o treinador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.