Palmeiras fecha patrocínio por três anos com a Samsung

O Palmeiras assinou, nesta quinta-feira, um contrato de patrocínio com a Samsung. São R$ 15 milhões anuais por um vínculo de três temporadas que, corrigidos pelo IGP-M, podem chegar a quase R$ 50 milhões ao final da parceria, segundo assessores do diretor de planejamento Luiz Gonzaga Belluzzo.O acordo será anunciado na próxima segunda, num evento no Palestra Itália. Os uniformes não vão mudar. O logotipo da empresa será escrito em branco na camisa verde. Mas, em agosto, mês do aniversário do clube, será lançada uma terceira camisa: azul, com gola polo branca e detalhes em verde, branco e vermelho. A inspiração vem da seleção italiana.O acordo com a Samsung estava engatilhado já há três semanas, mas dependia de duas coisas: a empresa precisava desistir de ser a patrocinadora exclusiva da camisa (o que implicaria no rompimento com a Suvinil, que estampa sua marca nas mangas) e um acordo com a WTorre, que faz a reforma do Palestra Itália e ganhou o direito de explorar as receitas do estádio por 30 anos.Além da exigência de um camarote especial, a Samsung queria publicidade estática no clube, mas foi convencida pela diretoria de que precisaria pagar a mais por isso à WTorre. Acabou ficando com um camarote, mas aceitou que sua marca fosse exibida só em dias de jogos - quando houver um show musical, por exemplo, nada impede que a WTorre venda o espaço a uma concorrente da Samsung.Durante o período de negociações entre a empresa sul-coreana e a construtora, a Fiat permaneceu como segunda opção. A proposta era 20% menor: R$ 12 milhões. Ainda assim, bem acima que os R$ 8,5 milhões pagos este ano, com mais R$ 1,5 milhão de bônus pela conquista do Paulistão. Também pesou a favor da Samsung o fato de a proposta ser de três anos e não de dois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.