Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras fecha último treino antes de semifinal com o Boca Juniors

Felipão pode escalar a zaga com Luan e Gustavo Gómez, defensores que não atuaram no final de semana

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2018 | 19h39

Palmeiras treinou com portões fechados no estádio Nuevo Gasometro, do San Lorenzo, em Buenos Aires. Foi a última atividade antes da semifinal diante do Boca Juniors, quarta-feira, no estádio La Bombonera. A imprensa só acompanhou o início do aquecimento dos jogadores. Todos os atletas que viajaram com a delegação trabalharam em campo.

Felipão tem à sua disposição todos os titulares que vinham jogando recentemente. Os desfalques são Marcos Rocha (lesão na panturrilha) e Jean (dores musculares).

O único setor em dúvida é a defesa. Como Antônio Carlos e Edu Dracena, defensores que vinham na Copa do Brasil e na Libertadores também jogaram pelo Campeonato Brasileiro, Felipão poderá escalar os outros dois zagueiros: Luan e Gustavo Gómez. O primeiro vem sendo capitão da equipe que está atuando mais no Brasileiro enquanto o paraguaio foi baixa no fim de semana por causa de suspensão. Na prática, Felipão tem escalando os quatro zagueiros independemente da competição e avalia principalmente a questão física.

Depois de servir a seleção colombiana e ter sido poupado na vitória sobre o Ceará, domingo, pelo Campeonato Brasileiro, o atacante Miguel Borja está de volta. O atacante deverá ser escalado como titular nesta quarta-feira ao lado de Willian.

O Palmeiras chegou à Argentina no início da madrugada desta terça-feira. Depois de embarcar no aeroporto de Guarulhos com festa da torcida, os atletas chegaram a Buenos Aires também com festa de alguns torcedores. No voo dos palmeirenses, todos os assentos tiveram a mensagem #RumoAoBi no encosto, além de uma palavra de incentivo enviada por torcedores ao perfil do clube em uma rede social. "Foi uma grande festa e queremos retribuir isso aos torcedores com uma grande atuação", afirmou Bruno Henrique.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.