Jarbas Oliveira/AE
Jarbas Oliveira/AE

Palmeiras fica no empate por 0 a 0 diante do Ceará no Castelão

Felipão completa o terceiro jogo sem vitória no comando da equipe, que soma apenas 14 pontos em 11 partidas

ANDRÉ RIGUE, estadão.com.br

25 de julho de 2010 | 20h18

Não foi desta vez que Luiz Felipe Scolari conseguiu vencer em seu retorno ao Palmeiras. No terceiro jogo sob comando do treinador, o alviverde ficou no 0 a 0 diante do Ceará no Castelão, pela 11.º rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o clube paulista permaneceu na zona intermediária da tabela, com 14 pontos.

 

Veja também:

SÉRIE A - tabelaClassificaçãolistaResultados

linkFelipão aprova escolha de Mano

 

Felipão tem como meta conquistar uma vaga na Copa Libertadores. Mas com o terceiro jogo sem vitória (dois empates e uma derrota), a equipe ficou mais distante do G-4, grupo que classifica quatro times para o torneio sul-americano - o rival cearense chegou aos 20 pontos com o empate e é um dos integrantes do seleto grupo.

 

A boa notícia para o torcedor palmeirense neste domingo é que o acerto com Valdivia deve acontecer no início desta semana. A diretoria alviverde se reunirá com o Al Ain para acertar os detalhes da contratação - o clube obterá 50% dos direitos econômicos do jogador. Valdivia deve assinar contrato de quatro temporadas.

 

No jogo deste domingo, Felipão teve muitos problemas para escalar o Palmeiras. O zagueiro Danilo e os volantes Pierre, Marcos Assunção e Edinho não atuaram por estarem suspensos. Para complicar, o goleiro Marcos também ficou de fora, com dores no joelho esquerdo. Patrick e Tinga foram as principais novidades na escalação.

 

Mesmo com um grande público no Castelão, o primeiro tempo foi morno. Melhor defesa do campeonato, o Ceará não descuidou da marcação, mas atacou pouco. O clube criou uma boa chance apenas aos 20 minutos. Em cobrança de escanteio de Oziel, Careca desviou e Deola fez uma defesa sensacional - segurou a bola em cima da linha.

 

O Palmeiras não teve muita criatividade com Lincoln. A bola demorou para chegar a Kléber. Apenas aos 29 minutos o jogador apareceu. Após receber passe de Ewerthon, o atacante saiu na cara do gol, porém se atrapalhou com a marcação e bateu fraco. O goleiro Diego não encontrou muitas dificuldades para fazer a defesa.

 

 Ceará 0
Diego; Oziel (Camilo), Fabrício, Anderson e Ernanes; J. Marcos, Michel  (Clodoaldo), Tony e Careca; Erick Flores (Wellington Amorim) e Mizael
Técnico: Estevam Soares
 Palmeiras 0
Deola; Vitor, Léo , Maurício Ramos e Armero; Márcio Araújo, Patrick, Tinga, e Lincoln (Gabriel Silva); Kléber (Tadeu) e Ewerthon (Leandro Amaro)
Técnico: Luiz Felipe Scolari
Árbitro: Péricles Cortes (Fifa/RJ)

Estádio: Castelão, em Fortaleza (CE)

Com a falta de criatividade dos dois lados, o primeiro tempo acabou em branco. O curioso no intervalo foi uma placa colocada pela assessoria de imprensa do Palmeiras na boca do túnel de acesso ao vestiário, com a informação de que os atletas não dariam entrevistas. Os jogadores foram proibidos por Felipão de darem declarações na saída do campo.

 

A etapa final começou em grande ritmo. Logo aos 7 minutos, Lincoln bateu escanteio, Léo cabeceou e Kléber ficou com o rebote. O atacante ajeitou na pequena área e soltou o pé. A bola explodiu no travessão de Diego e não entrou. Um minuto depois, foi Tony quem chutou de longe pelo Ceará e quase pegou Deola desprevenido.

 

O Palmeiras foi melhor em grande parte do segundo tempo, mas se complicou com a expulsão de Léo aos 32 minutos por entrada em Camilo - o jogador também recebeu vermelho na derrota contra o Avaí. Felipão teve de fechar a equipe para segurar o resultado. O Ceará, que também tem o pior ataque da competição, não teve capacidade para aproveitar a superioridade numérica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.