'Palmeiras foi o campeão do mundo de clubes', afirma Blatter

Presidente da Fifa quebra protocolo e confirma que clube brasileiro receberá certificado para chancelar título no ano de seu centenário 

Jamil Chade - Correspondente em Ulrichen, na Suíça, O Estado de S. Paulo

09 Agosto 2014 | 11h39

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, anuncia que vai reconhecer o título do Palmeiras de campeão do mundo de 1951. Questionado pelo Estado, o cartola suíço confirmou que o time paulista receberá um certificado que chancela o título. Mas não será um torneio da Fifa.

Durante a Copa do Mundo, a direção do clube e até o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, fizeram lobby pelo clube. Neste sábado, Blatter deu o sinal positivo. "O Palmeiras, naquela época, foi o campeão do mundo de clubes", disse. O cartola fez questão de insistir que o reconhecimento não significaria endossar o torneio e nem somar à lista dos atuais campeões do mundo. Mas, ainda assim, o reconhecimento é considerado como certo.

"Naquela época (anos 50), eles foram os campeões", insistiu. "Vamos dar um certificado para todos os campeões. Agora, temos um campeão a cada ano", declarou.

Sua declaração deixou o departamento de comunicação da Fifa visivelmente irritado, tentando impedir que ele terminasse a frase e até dizendo que haveria um comunicado sobre isso. Blatter interrompeu seus assessores. "Isso eu posso dizer", declarou.

O pedido ainda foi apoiado pelo o presidente eleito da CBF, Marco Polo Del Nero, que é membro do Comitê Executivo da Fifa.

No ano de seu centenário, que será celebrado no dia 26 de agosto, os cartolas do clube trabalhavam nos bastidores para que Blatter finalmente reconhecesse a Taça Rio de 1951 como título mundial de clubes.

A história é antiga. Em 2006, durante a gestão do ex-presidente Affonso della Monica, o Palmeiras produziu um dossiê completo sobre o torneio disputado em 1951. Com reportagens da época, o documento comprova o caráter "mundial" da competição, disputada por oito clubes - Áustria Viena (Áustria), Estrela Vermelha (Iugoslávia), Juventus (Itália), Nacional (Uruguai), Nice (França), Sporting (Portugal), Vasco da Gama e Palmeiras (Brasil).

O clube decidiu o título contra a Juventus. Na primeira partida, venceu por 1 a 0 no Pacaembu. No segundo jogo, com mais de 150 mil torcedores no Maracanã, o Verdão segurou o 2 a 2 com a equipe italiana e sagrou-se campeão do torneio.

Em maio de 2007, o Palmeiras chegou a celebrar a homologação da conquista - o clube havia recebido um fax da Fifa com a informação, em documento assinado por Urs Linsi, ex-secretário-geral da entidade. Contudo, na época a Fifa protelou a decisão e informou que o clube ainda não poderia se considerar como campeão do mundo.

REVIRAVOLTA

O Palmeiras não se deu por vencido. Como parte das celebrações do centenário do clube, a diretoria pediu a ajuda para ninguém menos do que Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF) e que irá assumir o comando da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) em 2015. Del Nero é amigo pessoal de Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, e intercedeu diretamente aos principais executivos da Fifa para que o comitê executivo da entidade reconsiderasse o caso, reexaminasse o dossiê e desse, enfim, a honraria ao clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.