Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras fortalece ambiente do elenco com maratona fora de casa

Apesar do desgaste com deslocamentos, convivência entre jogadores vira trunfo para decisões na temporada

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

22 de setembro de 2018 | 05h00

Nas últimas semanas a casa dos jogadores do Palmeiras têm sido os hotéis e a família, os companheiros de elenco. A sequência de quatro partidas fora de casa, com viagens frequentes e sem retorno para São Paulo, deixou de parecer um problema para virar uma aliada no trabalho do clube de fortalecer o ambiente de equipe neste reta decisiva de temporada.

O Palmeiras esteve nesta semana em Santiago para jogo da Copa Libertadores, de lá seguiu direto para Recife, onde enfrenta o Sport, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro, e depois vai para Belo Horizonte, local da partida de quarta-feira com o Cruzeiro, pela Copa do Brasil. A volta para São Paulo será só na quinta-feira, depois de nove dias longe.

A sequência de deslocamentos sem retorno para casa foi uma forma, claro, de se evitar o desgaste e facilitar a logísticas. Porém, também é uma maneira de deixar o elenco junto por mais tempo, ao propiciar mais convivência. "Rompemos barreiras de convivência que existiam há um tempo. Criamos intimidade e cumplicidade entre eles. Isso nos ajudou bastante, ter um ambiente agradável e bem melhor do que o ambiente carregado do ano passado", disse o diretor de futebol, Alexandre Mattos, em entrevista ao SporTV nesta semana.

O técnico Luiz Felipe Scolari gosta de nos seus trabalhos formar um ambiente de união entre o grupo. Na Copa de 2002, por exemplo, a seleção brasileira ganhou o apelido de "Família Scolari" e o Palmeiras atual tem atributos parecidos. Ao promover um rodízio de titulares entre competições e dar chances para vários atletas, o treinador conseguiu dar protagonismo a vários jogadores.

"Está todo mundo com esse intuito de ajudar. Seja quem joga ou quem não joga. Isso faz com que um time consiga essas vitórias. Tomara que a gente possa conquistar mais ainda", disse o zagueiro Edu Dracena. "É um grupo em que todos os jogadores se respeitam e todos querem ser campeões. Mesmo quem está no banco nos ajuda e nos incentiva", completou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.