Palmeiras ganha confiança com fim do jejum de vitórias

Depois de cinco jogos sem vitória (três empates e duas derrotas), o Palmeiras voltou a vencer na noite de quinta-feira, ao fazer 1 a 0 sobre o Ceará no Canindé. O fim do jejum foi muito comemorado pelos palmeirenses, que parecem ter recuperado a confiança e falam até em buscar o título do Brasileirão - o time está em sétimo lugar, com 38 pontos, oito a menos do que o líder Vasco.

AE, Agência Estado

23 de setembro de 2011 | 07h50

"A gente está a oito pontos do líder. Faltam 13 rodadas ainda. Temos uns três confrontos diretos. A gente está dentro ainda, a gente tem possibilidade. Vamos lutar para isso", afirmou o atacante Kléber, um dos líderes do elenco palmeirense. "Acho que nosso time jogou bem, como já vinha jogando. Dessa vez, a gente conseguiu vencer, antes a gente não estava conseguindo", completou.

Para derrotar o Ceará, com um gol contra do zagueiro Thiago Matias, o Palmeiras não teve uma grande atuação. Mas o que mais contava na noite de quinta-feira para os palmeirenses era mesmo acabar com o jejum de vitórias. "Em determinados dias, valem mais os três pontos do que a apresentação. Em outros jogos que empatamos, jogamos dez vezes melhor", admitiu o técnico Luiz Felipe Scolari.

Outra boa notícia para os palmeirenses foi o retorno do atacante Maikon Leite, recuperado da contusão muscular sofrida no final de agosto. Ele entrou no segundo tempo e ajudou na vitória sobre o Ceará, voltando a ser uma boa opção para Felipão. Enquanto isso, o lateral-direito Cicinho e o meia Valdivia seguem machucados e ainda são desfalques importantes para o Palmeiras.

Mas, independente dos jogadores que Felipão tem à disposição, o Palmeiras está mais confiante para a sequência do campeonato. E espera mostrar isso já no domingo, quando volta a campo para enfrentar o Atlético-GO, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela 26ª rodada do Brasileirão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.