Palmeiras ganha da Inter na abertura

O Palmeiras derrotou a Inter por 5 a 3, nesta quarta-feira, em Limeira, na partida de abertura do Campeonato Paulista de 2005. O destaque foi o recém-contratado Marcel, que marcou dois - Lúcio, Ricardinho e Diego Souza fizeram os outros gols palmeirenses.Ex-jogador do Paraná, Marcel começou a brilhar aos 8 minutos. Após cruzamento de outro estreante, o lateral-direito Bruno (ex-Marília), emendou um chute de esquerda, sem chance para Marcelo Cruz. Foi o primeiro gol do Paulistão.A superioridade do Palmeiras era evidente e Marcel contribuía em muito para isso. Aos 24 minutos, por exemplo, o meia enfiou para o atacante Ricardinho invadir a área, sozinho, e bater a gol. Marcelo Cruz defendeu o primeiro chute, mas no rebote o mesmo Ricardinho não perdoou: 2 a 0.Com a vantagem no placar, o Palmeiras diminuiu o ritmo. O campo estava pesado (choveu muito em Limeira antes da partida) e o time estava voltando de férias, com apenas cinco dias de treino. A Inter cresceu. E, para isso, contou com a ajuda do árbitro Wilson Luís Seneme, que viu falta na área de Gabriel em Rafael Marques numa disputa pelo alto. Pênalti, que Alexandre Salles converteu aos 41.Quatro minutos depois, o mesmo Rafael Marques, que passou o ano de 2004 inteirinho encostado na reserva do Palmeiras, cabeceou uma bola na trave do goleiro Sérgio. No rebote, Izaías fuzilou: 2 a 2.E o resultado piorou mais ainda para o Palmeiras aos 3 minutos da segunda etapa, quando o árbitro assinalou mais um pênalti polêmico, de Alceu em Izaías. Alexandre Salles bateu e fez seu segundo gol, virando a partida para a Inter.O Palmeiras teve ainda um gol mal anulado, aos 9 minutos, com Ricardinho, que teria supostamente ajeitado a bola com o braço. Aos 15, porém, Lúcio, em jogada que começou com Marcel, tratou de empatar o jogo - invadiu a área pela esquerda e chutou para gol quase da linha de fundo, quando todos imaginavam que fosse cruzar.A virada veio aos 20. E com quem? Com Marcel, que, na meia-lua, pegou de primeira um rebote na área. Esse poderia ter sido o gol de sua consagração, mas ele quis mais. Aos 28, puxou um contra-ataque e, com estilo, serviu Diego Souza, que fez 5 a 3.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.