Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras ganha do Grêmio e fica mais longe da degola

Time alviverde sai atrás, mas não se abala e consegue a vitória por 2 a 1, deixando os paulistas momentaneamente em 11.º lugar

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

11 de outubro de 2014 | 23h05

Foi suado e sofrido, mas o Palmeiras conseguiu bater o Grêmio por 2 a 1, chegou provisoriamente à 11.ª posição e, com 34 pontos, começa a se distanciar de vez da zona de rebaixamento. Já o time gaúcho fica na quarta posição, mas pode ser ultrapassado pelo Atlético-MG, que recebe o São Paulo no Independência no próximo domingo.

Empolgado pelas duas vitórias consecutivas que deram oxigênio na briga contra o rebaixamento, era de se esperar que os donos da casa partissem para o ataque e tentassem manter o viés de alta; fato que se confirmou desde os primeiros segundos. Jogando com autoridade raras vezes vista na temporada, os palmeirenses foram para cima e só não tiraram o grito de gol logo aos dois minutos porque Cristaldo perdeu bisonhamente um gol em cruzamento açucarado de João Pedro.

É evidente que o Palmeiras não é um time totalmente confiável – caso contrário, não viveria uma situação de agonia constante –, mas aos poucos Dorival Júnior consegue ao menos dar uma cara competitiva à equipe. Pressão na saída de bola, jogo de transição e um meio-campo mais criativo dão um alento de que é perfeitamente possível terminar o ano sem a dose de drama e terror que tem marcado os últimos dezembros. 

Muito disso se deve a Valdivia e Wesley. Com talento proporcional à capacidade de criar problemas, a dupla dá um dinamismo diferente à equipe. É nos pés do chileno que o time roda e ele mais mostrou que, quando quer jogo e deixa as polêmicas de lado, é acima da média.

O problema é que o Alviverde ainda está em formação por isso abre portas que rivais mais bem estruturados podem aproveitar. Passado o sufoco inicial, o Grêmio conseguiu assumir o controle do jogo e se escorou especialmente na debilidade técnica de Lúcio e Tobio para criar suas chances. Não fossem duas intervenções de Fernando Prass e a primeira etapa teria terminado com vitória gaúcha.

Bem armado por Luiz Felipe Scolari, o Tricolor Gaúcho conseguiu neutralizar o rival, mas terminou a primeira etapa levando sufoco. As alternâncias de comando nos 45 minutos iniciais tornaram o jogo imprevisível e extremamente agradável de ser assistido.

HERÓI E VILÃO
A segunda etapa veio com intensidade menor, mas ainda assim interessante.

Aí Barcos apareceu. Primeiro, converteu o pênalti marcado por Sandro Meira Ricci após toque na mão de Valdivia, em mais um lance polêmico que renderá infindáveis discussões em mesas de botequim. 

Se aos dez minutos o ex-palmeirense fez os antigos fãs lamentarem, sete minutos depois veio a ‘retribuição’: expulsão após falta em Cristaldo. 

O cartão vermelho incendiou a torcida e o Alviverde foi para cima em busca da virada, que começou a ganhar contornos quando Mouche completou para as redes cobrança de falta de Valdivia que contou com um desvio de Cristaldo pelo alto.

Com um a mais e empurrado pela torcida, os palmeirenses passaram a sufocar o rival, que se encolheu e tentou apenas contra-atacar e manter ao menos a igualdade.

Foi pouco. Aos 29, o garoto João Pedro arriscou de fora da área e contou com um desvio para matar Tiago e fazer explodir o Pacaembu pela segunda vez. Daí por diante, viu-se o time gaúcho tentando se virar para pressionar e os donos da casa se aproveitando do fato de ter um atleta a mais em campo.

O fim do jogo tinha ares de final de campeonato. Com a vitória, o Palmeiras fica ainda mais aliviado para fugir da degola no Campeonato Brasileiro. Se conseguir unir coração e razão na mesma dose deste sábado, pode superar o desafio com relativa tranquilidade. 

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 1 GRÊMIO

PALMEIRAS - Fernando Prass; João Pedro, Tobio, Lúcio e Juninho (Mouche); Washington, Victor Luis, Wesley e Valdivia (Bernardo); Cristaldo (Leandro) e Henrique. Técnico: Dorival Júnior.

GRÊMIO - Tiago; Pará, Pedro Geromel, Bressan e Zé Roberto; Ramiro, Fellipe Bastos (Riveros), Matias Rodríguez (Lucas Coelho), Alan Ruiz (Giuliano) e Dudu; Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

GOLS - Barcos, aos nove, Mouche, aos 21, e João Pedro, aos 28 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (Fifa/PE).

CARTÕES AMARELOS - Lúcio (Palmeiras); Fellipe Bastos, Barcos, Riveros, Dudu, Ramiro (Grêmio).

CARTÃO VERMELHO - Barcos (Grêmio).

RENDA - R$ 647.130,00.

PÚBLICO - 26.940 pagantes (29.353 total).

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPalmeirasGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.