Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras gasta R$ 32 milhões com passagem de Wesley pelo clube

Volante se despede da equipe sem deixar saudades

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2015 | 07h01

Foram três anos de relação e pouca coisa para comemorar. Alguns, consideram o pior negócio da história do Palmeiras. Exageros à parte, chega ao fim hoje a passagem de Wesley pelo clube. Foram 103 jogos, 12 gols marcados e R$ 31,8 milhões gastos, entre salários e valor pago ao Werder Bremen, seu antigo time. O volante deixa oficialmente a equipe e seu destino será o arquirrival São Paulo.

Se no dia 27 de março de 2012, Wesley foi apresentado com pompas de astro, seu adeus se dá de forma melancólica e pela porta dos fundos. Além do fato de pular o muro e resolver vestir as cores do rival, sua passagem pelo clube faz com que nenhum (ou poucos) palmeirenses fiquem com saudades do que enquanto esteve em campo.

Ele estava desde o início do ano treinando em horários diferentes do grupo e a bronca com sua postura fez com que o presidente Paulo Nobre preferisse pagar os salários do jogador até o fim do contrato do que liberá-lo antes, só para não vê-lo reforçando um rival na primeira fase da Copa Libertadores e do Campeonato Paulista. Wesley recebia R$ 300 mil, sendo um dos salários mais altos do elenco.

No total, ele custou ao clube R$ 31,8 milhões, aproximadamente. Foram R$ 21 milhões pagos ao Werder Bremen e mais R$ 10,8 milhões de salários, sem contar bônus, bichos por vitória, dentre outros benefícios. Antes mesmo de sua chegada, a primeira decepção e um mico. O então presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, resolveu fazer uma “vaquinha” pedindo ajuda da torcida para contratá-lo. Ao invés dos R$ 21 milhões, conseguiu R$ 600 mil.

Assim, o jeito foi apelar para um investidor, mas Tirone pegou o dinheiro que seria dado aos alemães e quitou outras dívidas. O fiador Antenor Angeloni teve que arcar com os custos e, sem receber do Palmeiras, entrou na Justiça, chegou a bloquear as cotas de TV, mas conseguiu abrir negociações com Paulo Nobre para tentar entrar em um acordo.

Dentro de campo, mais decepções. No quarto jogo com a camisa alviverde, diante do Guarani, Wesley rompeu o ligamento do joelho direito e ficou seis meses fora. Voltou no fim do Brasileirão e teve pouca participação no rebaixamento. Em meados de agosto de 2013, vivia um bom momento na Série B, mas tudo caiu por água abaixo quando o clube resolveu emprestá-lo.

Irritado por estar sendo oferecido para vários clubes, Wesley bateu o pé e resolveu que não iria sair e a partir daí o relacionamento com a atual diretoria piorou bastante. Mesmo assim, houve uma fracassada tentativa de renovação de contrato, algo que deixou os empresários do jogador irritados com a forma que a diretoria conduziu as conversas. Wesley fez um pedido salarial e não teve resposta durante sete meses. Neste período, os agentes do atleta resolveram conversar com outros clubes.

Grêmio, Atlético-MG e Flamengo entraram em contato, mas desistiram por causa do salário. O São Paulo fechou com o atleta, de forma verbal e só depois disto, Nobre respondeu e disse aceitar o que o jogador havia pedido. Entretanto, o volante mudou os valores da negociação e as conversas pararam mais uma vez. O Tricolor havia sido a escolha do volante e nada faria ele mudar de planos.  

Com a relação desgastada, Wesley passou a ser perseguido pelos torcedores e chegou a assegurar que foi agredido por palmeirenses. Enquanto isso, Gilson Kleina, Ricardo Gareca e Dorival Júnior apostavam nele. Após a derrota por 6 a 0 para o Goiás, em setembro do ano passado, a diretoria pediu para Dorival afastar alguns atletas e ele era o primeiro da lista, mas o treinador resolveu mantê-lo na equipe.

Além de toda confusão para renovar contrato, outro ponto que irritava o torcedor era a postura de Wesley em campo. Tanto que um grupo de palmeirenses criou um site para se despedir, de forma irônica, do volante. No site www.adeuswesley.com.br, um texto, assinado como “Torcedor Palmeirense” é recheado de ironias e diz que sentirá saudades da preguiça do jogador e dos piques de 2km/h, dentre outras brincadeiras. Embora o acerto ainda seja tratado como sigiloso, Wesley deve ser anunciado no São Paulo nos próximos dias.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.