Palmeiras goleia Botafogo no jogo das faixas

O Palmeiras encerrou de maneira apoteótica sua trajetória na Série B do Campeonato Brasileiro de 2003. Diante de 29.314 torcedores que lotaram o estádio do Parque Antarctica, a equipe Alviverde goleou o Botafogo por 4 a 1 na tarde deste sábado, e confirmou o título conquistado na semana passada, com a vitória sobre o Sport, em Garanhuns. A equipe paulista fechou o campeonato com ampla vantagem sobre os demais: teve o melhor ataque, a melhor defesa e o artilheiro do campeonato. O atacante Vágner Love fez 2 e terminou a competição com 19 gols, um a mais que Valdomiro (Remo). Magrão e Pedrinho completaram o marcador para o Palmeiras. Almir fez o único do Botafogo.Ao Botafogo - que a exemplo do Palmeiras também já havia garantido sua volta à Primeira Divisão - restou um papel de coadjuvante. O time carioca foi dominado em grande parte do jogo e terminou a partida com apenas 9 jogadores, após as expulsões de Camacho e Jorginho Paulista. No outro jogo da última rodada do quadrangular final da Série B, o Sport empatou com o Marília por 1 a 1 e terminou o campeonato na terceira colocação. Valdir Papel abriu a contagem para o Sport. Rogerio Souza empatou para o time do interior de São Paulo. Os dois continuam na Série B.Os jogadores do Palmeiras comemoraram a conquista de várias formas. Elson criticou o técnico do Botafogo, Levir Culpi, que durante a semana disse que seu time colocaria água no chop e palmeirense. Pedrinho agradeceu a Deus pela chance de retornar ao time e marcar um gol ? o terceiro. E Marcos voltou a mostrar orgulho por retornar à Série A dentro de campo.Já o atacante Vágner Love, artilheiro da competição com 19 gols, afirmou que deixou de ser uma promessa para virar realidade. ?Sou campeão e artilheiro. Não tem felicidade maior. Mas todos que fizeram parte desse grupo estão de parabéns.?Irritado, Elson passou a maior parte do tempo mostrando sua raiva de Levir Culpi. ?Ele falou demais durante a semana e nos motivou. Além de não ter feito nada no Palmeiras, nos menosprezou. Odeio quem fala demais. As palavras só têm valor quando o jogo termina. Dei a minha vida pelo Palmeiras, disputei cada dividida como se fosse a última, e estou muito feliz.?O jogador se referia ao período em que o Palmeiras foi rebaixado, sob o comando de Levir Culpi.Marcos enalteceu a determinação do grupo. ?Ganhamos a vaga para a Série A na bola, e não no tapetão. Esse é o meu maior orgulho. Mas estou satisfeito por tudo o que proporcionamos aos torcedores. Tudo que vem com dificuldade é mais gostoso.? Diego Souza, que abriu um extintor de incêndio no saguão da imprensa para comemorar, agradeceu o técnico Jair Picerni. ?Ainda bem que ele acreditou em mim. Agora é só emoção. Dedico esse título à torcida. Foi maravilhoso dar a volta olímpica vestindo a camisa do clube que me acolheu.?Pedrinho era um dos mais emocionados. ?Entrar e marcar um gol foi o melhor presente que eu poderia receber. Quero ficar aqui até o final do meu contrato, em 2005. A carga positiva que recebi foi imensa, jamais havia sentido alegria tão grande na carreira.?E o zagueiro Leonardo, que caiu com o time em 2002, festejava sua vitória pessoal. ?Poucos acreditavam em mim, dei a volta por cima.?O técnico Jair Picerni reiterou o desejo de permanecer no Parque Antártica. ?Vamos conversar com o presidente, queremos acertar um novo contrato.? O diretor de Futebol, Mário Gianini, confirmou que a manutenção do treinador é prioridade. ?Não temos outro nome em mente.?Os jogadores ressaltaram o empenho das duas equipes no clássico, mesmo com o título decidido desde a semana passada.?Quem imaginou que o jogo seria disputado em ritmo de amistoso, quebrou a cara. Em campo, todo mundo viu que não houve festa?, disse Magrão, autor do segundo gol palmeirense.Vencer o jogo de despedida acabou sendo uma tarefa simples. O gol de Vágner Love logo aos 8 minutos foi uma beleza. O atacante recebeu a bola de Lúcio na área, driblou dois adversários e concluiu com extrema precisão, sem chance para o goleiro Max.O Botafogo ficou atordoado no campo defensivo e quase foi surpreendido mais duas vezes. Aos 14 minutos, Baiano acertou a trave. Aos 18, Edmílson foi gentil com Vágner, que brigava pela artilharia, e deu-lhe um gol de bandeja. Mas o companheiro perdeu.O Botafogo só se soltou aos 19 minutos, quando Almir, livre na área palmeirense, surpreendeu Marcos: 1 a 1. Mas aos 31, Magrão fez 2 a 1. O segundo tempo serviu apenas para o Palmeiras sacramentar o triunfo com outros dois gols, um de Pedrinho aos 32, outro de Vágner aos 38.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.