Palmeiras goleia na Copa Mercosul

O Palmeiras goleou o o Universidad de Chile por 4 a 0, nesta quinta-feira à noite, e se manteve vivo na Copa Mercosul. O time chegou a 4 pontos no Grupo E e precisará, agora, vencer os últimos dois jogos, contra o River Plate, em Buenos Aires, e o Grêmio, em São Paulo, para se classificar para as quartas-de-final.Jogando bem desde o início da partida, a equipe e se vingou da derrota em Santiago, por 2 a 1, em julho, e não deu chances para que a "turma do amendoim", como é conhecida a parte da torcida que reclama do time, esboçasse qualquer reclamação. Poucos torcedores se arriscaram a sair de casa para ver a boa exibição palmeirense, uma das melhores do semestre. Afinal, a campanha da equipe na competição não é boa, ao contrário do que ocorre no Campeonato Brasileiro, em que é líder isolado. Ainda não havia vencido - duas derrotas e um empate.Na noite desta quinta-feira, porém, tudo foi diferente. Marcando sob pressão e saindo com velocidade ao ataque, o Palmeiras sufocou o adversário desde o começo. Depois de desperdiçar duas boas oportunidades, o time fez o primeiro gol. Aos 9 minutos, Galeano, sem marcação, completou chute de Magrão: 1 a 0.Embora ainda tivesse o domínio da partida, a equipe do técnico Celso Roth, que não abriu mão do esquema com três volantes, relaxou um pouco e deu espaço para que o adversário atacasse. Os chilenos assustaram em dois chutes de longa distância, mas Marcos estava atento e evitou o gol. O time da casa praticamente garantiu a vitória aos 33. Rovílson fez boa jogada pela esquerda e cruzou na cabeça de Tuta: 2 a 0. O atacante completou a 50ª partida com a camisa alviverde. "Provamos aos torcedores e à imprensa que não somos defensivos", afirmou o atleta.Nada mudou na segunda etapa. Animados com o apoio dos poucos torcedores que compareceram ao estádio, os palmeirenses seguiram atacando e criando oportunidades. Os chilenos estavam mais preocupados em não sofrer mais gols e evitar uma derrota vexatória. Mas estava difícil. Aos 14 minutos, Rovílson errou o chute e a bola sobrou para Magrão. O volante apenas tocou na saída de Herrera e fez o terceiro. Um pouco mais tarde, foi a vez de Alexandre, de cabeça, deixar sua marca.Estava tão fácil que Celso Roth se deu ao luxo de fazer testes e pôr em campo Thiago Gentil, Thiago Matias e Basílio, que não jogava desde o fim do primeiro semestre. No fim, se Tuta tivesse um pouco mais de seriedade, a goleada poderia ter sido ainda mais expressiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.