JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Palmeiras goleia o América-MG e fica a uma vitória do título

Time alviverde dá show, faz 4 a 0 e pode levantar a taça no fim de semana contra o Vasco

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

21 de novembro de 2018 | 23h40

Poderia ter sido o jogo do título, mas o decacampeonato parece ser apenas uma mera questão de tempo. O Palmeiras goleou ontem o América-MG por 4 a 0 no Allianz Parque, pelo Campeonato Brasileiro, e só não foi campeão porque o Flamengo ganhou do Grêmio por 2 a 0, no Rio. Se a combinação não foi suficiente, pelo menos agora o time só precisa do próprio resultado. Uma vitória domingo sobre o Vasco, no Rio, já garante a décima taça. Até mesmo empate ou derrota, dependendo do resultado do Flamengo, pode dar a vitória ao time de Felipão.

A torcida palmeirense deixou o estádio otimista pela expressiva vitória e pela confiança de que o time tem quase 100% da missão cumprida. Os 39 mil presentes se seguraram para não gritar "campeão" e aguardaram em seus assentos o fim do jogo no Rio, que terminou minutos depois.

O estopim para a euforia palmeirense veio bem mais cedo, alimentado pelo Beira-Rio e pelo sistema de som do Allianz Parque. O gol da vitória do Atlético-MG por 2 a 1 sobre o Inter, no Beira-Rio, veio nos acréscimos da partida e a cerca de 20 minutos do apito inicial em São Paulo. A torcida alviverde vibrou na arena. O locutor e o telão do estádio também informaram o resultado favorável.

Naquele momento o elenco do Palmeiras ainda estava em campo, no trabalho de aquecimento. Alguns jogadores até levantaram a cabeça para observar o telão exibir o placar final em Porto Alegre. O time começou a partida, portanto, ciente de que parte do trabalho estava encaminhado. Só restavam outras duas etapas: o Flamengo não vencer e, é claro, o Palmeiras ganhar.

A equipe alviverde tratou logo de buscar a parte que lhe cabia na missão. Dudu chamou para si a responsabilidade de puxar todos os ataques do time. O atacante não era contido pelo América-MG e toda hora surgia livre com a bola nos pés. Foi o melhor do jogo. Veio dele o lance mais claro e mais desesperador para os palmeirenses. O camisa 7 serviu Borja, que estava livre, dentro da área, para se consagrar. O colombiano chutou para fora.

A grande chance perdida não desanimou ninguém. O intervalo chegou com as partidas empatadas sem gols em São Paulo e no Rio. Depois de um primeiro tempo de 14 finalizações e com o goleiro João Ricardo com destaque, o Palmeiras estava confiante.

O segundo tempo começou ruim no Allianz Parque. O Palmeiras teve um gol anulado por impedimento e logo depois o Flamengo, com Uribe, abriu o placar sobre o Grêmio, no Rio. Era preciso esquecer o outro jogo da rodada e fazer a sua parte para não trocar a noite de possível título pelo dissabor de ter a vantagem reduzida.

Finalmente o gol saiu aos 13 minutos. Lucas Lima cruzou e o zagueiro Luan completou. O time ficou mais tranquilo para marcar mais dois gols, ambos com participação de Dudu. Aos 30, ele serviu Willian e depois, aos 32, chutou no ângulo para fazer 3 a 0. Deyverson ainda fez de cabeça o quarto gol.

A torcida foi ao delírio, ao cantar "O deca vem aí" e "seremos campeões". O trabalho na arena foi feito com louvor. A finalização da construção do título pode ser no próximo domingo, em São Januário.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 X 0 AMÉRICA-MG

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Gómez e Victor Luís; Thiago Santos (Moisés), Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu (Felipe Melo), Willian e Borja (Deyverson). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

AMÉRICA-MG: João Ricardo; Norberto, Matheus Ferraz, Messias e Carlinhos; Christian, Juninho (Gérson Magrão) e Matheusinho (Robinho); Ademir (Leandro Donizete), Luan e Rafael Moura. Técnico: Givanildo Oliveira.

GOL: Luan, aos 13, Willian, aos 30, Dudu, aos 32, e Deyverson, aos 36 minutos do segundo tempo

ÁRBITRO: Paulo Roberto Alves Junior (PR)

CARTÕES AMARELOS: Ademir, Paulão, Carlinhos, Matheus Ferraz, Leandro Donizete

PÚBLICO: 39.429 torcedores

RENDA: R$ 2.615.582,46

LOCAL: Allianz Parque.

 

 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.