Palmeiras goleia Paulista por 5 a 2

O Palmeiras fez valer sua principal vantagem no início do Campeonato Paulista - o entrosamento - para animar a torcida com uma goleada sobre o Paulista por 5 a 2, nesta quarta-feira, no Palestra Itália. Foi um belo espetáculo do time comandado por Jair Picerni e em especial do atacante Muñoz, autor de dois gols, e do volante Correia, que marcou um olímpico. "Fiquei especialmente feliz pelo segundo gol, em um estilo que eu costumava fazer bastante na Colômbia", disse Muñoz. O jogador preferiu não se considerar merecedor de uma vaga no time titular após a boa atuação. "Estou trabalhando para isso", disse o atacante, que dedicou um dos gols ao preparador Walmir Cruz, que considera um dos incentivadores de seu trabalho.O jogo começou com protesto fora de campo. A Torcida Mancha Alviverde, descontente com o aumento no preço dos ingressos (R$ 20,00 a arquibancada), ficou na porta do Palestra Itália batucando. "Del Nero, é isso aí, R$ 20,00 a torcida fica aqui (fora do estádio)", era o refrão em protesto destinado ao presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero.Desde o início do jogo, o Palmeiras mostrou bom toque de bola, procurou envolver o adversário e criou algumas situações de gol. O Paulista se defendeu como pôde, mas o time do técnico Zetti não contava era com a esperteza de Vágner Love. O atacante roubou bola no meio da área, aos 11 minutos, e lançou Diego Souza. O meia fintou o goleiro Rafael para marcar o primeiro gol palmeirense no Campeonato Paulista.Com vantagem no placar, o time de Jair Picerni manteve o domínio do jogo até o fim do primeiro tempo.Na segunda etapa, o Paulista mostrou que não veio ao Palestra Itália apenas para fazer figuração. Logo no primeiro minuto, a equipe de Jundiaí contou com a ajuda involuntária do zagueiro Glauber, que colocou a mão na bola dentro da área. O pênalti foi cobrado com precisão por João Paulo, que empatou o jogo.Mas a alegria do Paulista demorou apenas alguns segundos. Logo após o reinício, Diego Souza passou para Marquinhos, que lançou Edmílson. O atacante palmeirense aproveitou o furo de Asprilla e marcou o gol em homenagem à filha Marcela, que nasceu há 15 dias.O Paulista não se abateu e mais uma vez foi ao ataque. Aos 12 minutos, o time de Jundiaí chegou com Alemão, que chutou forte de média distância. O goleiro Diego defendeu, mas Izaías aproveitou o rebote para igualar o placar.Aí, um lance genial de Correia desequilibrou o jogo. O volante, que tinha sido improvisado no lugar do lateral-esquerdo Marquinhos, contundido, desempatou o jogo aos 25 minutos, com um gol olímpico que animou o pequeno público no Palestra Itália.O Paulista continuou tentando com chutes de fora da área, mas o Palmeiras mostrou mais precisão nas finalizações. Magrão roubou a bola aos 35 minutos e lançou Muñoz, que driblou Lucas e chutou para ampliar o marcador. A noite era realmente do atacante colombiano, já que cinco minutos depois ele recebeu a bola na área e, para evitar a marcação, tocou de cobertura, fazendo 5 a 2.

Agencia Estado,

21 de janeiro de 2004 | 22h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.