José Patrício/AE
José Patrício/AE

Palmeiras 'ignora' ausência de Kléber ganha do Santos por 3 a 0

Time alviverde chega à quarta colocação, enquanto o rival fica mais perto dos piores do Brasileirão

Demétrio Vecchioli, Agência Estado

10 de julho de 2011 | 20h25

SÃO PAULO - O Palmeiras mostrou neste domingo que não depende de Kléber. Sem contar com o atacante, que pediu para não jogar, alegando uma lesão - negada pelos médicos -, o time alviverde atropelou o Santos no Pacaembu. O placar de 3 a 0 representou bem o domínio dos mandantes sobre o atual campeão da Libertadores.

A vitória no clássico válido pela nona rodada recoloca ao Palmeiras no G-4 do Campeonato Brasileiro, exatamente em quarto, com os mesmos 18 pontos que o São Paulo, mas atrás pelo número de vitórias. Na próxima rodada, daqui a uma semana, o time alviverde recebe o Flamengo, vice-líder, novamente com o reforço de Gabriel Silva, liberado pela seleção sub-20.

Sem quatro dos titulares na conquista da Libertadores (Neymar, Elano e Ganso na seleção, Jonathan negociando com o futebol italiano, além dos importantes Adriano e Alex Sandro, machucados), o Santos entrou em campo com uma formação inédita e sofreu com o desentrosamento. A derrota deixou o time praiano em 16.º, com os mesmos oito pontos que o Atlético-GO. Só não entrou na zona de rebaixamento porque tem um gol a mais de saldo. Tem, porém, dois jogos a menos. No sábado, recebe o Atlético-MG na Vila Belmiro.

Kléber já fez seis jogos pelo Palmeiras no Brasileirão e, se entrasse em campo neste domingo, não poderia mais jogar a competição por outra equipe. O Flamengo já fez proposta oficial por ele. Lincoln também desfalcou o time alviverde pelo mesmo motivo. Com pouco espaço no clube, ele espera por propostas.

Jogo. Sempre que sofre uma decepção em relação a um ídolo, o torcedor recorre a uma velha máxima, a de que o clube é muito maior do que qualquer jogador. Mesmo batida, essa expressão mostra bem o que foi o primeiro tempo do Palmeiras no Pacaembu. Com Dinei substituindo Kléber em detrimento a Wellington Paulista, o time mandante foi superior durante quase a totalidade dos 45 primeiros minutos.

Quando o Santos ainda tentava equilibrar a partida, o Palmeiras abriu o placar. Luan recebeu de Gabriel Silva, limpou a jogada e tocou para Maikon Leite. O ex-santista saiu na cara de Rafael, driblou o goleiro e tocou para o gol vazio. Comemorou discretamente o gol marcado contra o antigo clube.

O desentrosamento do Santos era tal que nem a jogada mais manjada do Palmeiras foi bem marcada. Aos 29, Marcos Assunção bateu escanteio na área, Maurício Ramos subiu mais que a zaga e cabeceou para fazer o segundo gol alviverde.

Com o rival abatido, o Palmeiras mandava no jogo e criava oportunidades para golear. Aos 33, Marcos Assunção bateu falta na área, Gabriel Silva escorou, a bola atravessou toda a pequena área e Luan completou no segundo pau. Mandou na rede, pelo lado de fora.

Quando o Santos já aguardava o apito final do primeiro tempo para ouvir a bronca de Muricy nos vestiários, Patrik pegou uma sobra do lado direito, pegou com rara felicidade na bola, mandou no ângulo oposto de Rafael e fez um golaço.

Tentando mexer com o brio da equipe, Muricy fez duas alterações no intervalo. Felipe Anderson, cedido pela seleção sub-20, substituiu o apagado Richelly. Roger Gaúcho entrou na vaga de Rodrigo Possebom, colocando o Santos mais à frente.

As modificações pouco alteraram a condição adversa santista. No primeiro minuto, Borges foi lançado, ganhou de Maurício Ramos na dividida, mas Marcos saiu no abafa para salvar o Palmeiras. Depois, o Santos seguiu atacando, mas não voltou a levar perigo para a defesa palmeirense.

Muricy ainda tentou mudar o jogo com Tiago Alves no lugar de Diogo. O time continuou pegando na armação, não conseguiu superar a barreira alviverde e saiu de campo com uma derrota contundente.

PALMEIRAS - 3 - Marcos; Cicinho (João Vitor), Maurício Ramos, Leandro Amaro e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção e Patrik (Pierre); Luan, Maikon Leite (Tinga) e Dinei. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

SANTOS - 0 - Rafael; Pará, Durval, Edu Dracena e Léo; Arouca, Possebom (Roger Gaúcho), Arouca, Danilo e Diogo (Tiago Alves). Richelly (Felipe Anderson) e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.

Gols - Maikon Leite, aos 20, Maurício Ramos, aos 29, e Patrik, aos 44 minutos do primeiro tempo; Árbitro - Luiz Flávio de Oliveira (SP); Cartões amarelos - Léo, Pará e João Vitor; Renda - R$ 444.239,00; Público - 16.751 pagantes; Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.