JF Diório/AE - 7/2/2012
JF Diório/AE - 7/2/2012

Palmeiras já deve salários a Barcos

Atacante ainda não recebeu direitos de imagem e aguarda depósito do clube

Luís Augusto Monaco, Jorna da Tarde

24 de fevereiro de 2012 | 09h55

Quando checar o saldo de sua conta hoje o argentino Barcos espera que finalmente o Palmeiras tenha feito o depósito do dinheiro que lhe deve.

A promessa feita pela diretoria é de que desta vez vai cumprir o prometido. O atacante está há pouco mais de um mês no clube, e até agora só recebeu – com atraso – o valor do salário registrado em sua carteira de trabalho.

O grosso dos vencimentos, que como é praxe nos clubes grandes vem camuflado como "direitos de imagem" para que o jogador pague menos impostos, ainda não foi depositado.

A situação incomoda Barcos, que não gostou nada de quebrar a cara ao verificar o saldo de sua conta em outras datas prometidas pela diretoria para resolver a situação.

A personalidade forte que mostrou semana passada ao enquadrar um repórter de tevê que tentou fazer gracinha com seus apelidos durante uma entrevista coletiva ele também mostrou para reclamar internamente do atraso em seu pagamento. Disse que recusou uma proposta mais vantajosa de um clube dos Emirados Árabes Unidos (ganharia US$ 1,5 milhão em seis meses, o equivalente a R$ 2,56 milhões) para vir jogar no Brasil, que está trabalhando com seriedade e que espera o cumprimento do que está estipulado em seu contrato.

Barcos já trouxe a família para São Paulo (mulher e dois filhos, de um e três anos). E tomou uma decisão que lhe causa transtornos quando o treino é no período da manhã: foi morar numa casa em Alphaville, e não num bairro perto da Academia de Futebol como Pompeia ou Perdizes. O trânsito na Castelo Branco no sentido Capital é sempre intenso no começo da manhã, por isso ele precisa sair de casa com bastante antecedência para estar em campo às 9h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.