Ernesto Rodrigues/Estadão
Ernesto Rodrigues/Estadão

Palmeiras joga contra o Linense no Pacaembu para curar as feridas

Time joga diante de sua torcida disposto a aapagar o início de crise após 6 a 2 para o Mirassol

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agência Estado

30 de março de 2013 | 08h05

SÃO PAULO - Ainda sob os efeitos da goleada (6 a 2) para o Mirassol, o Palmeiras volta a jogar neste sábado com um time desfigurado diante do Linense, às 18h30, no estádio do Pacaembu, pela 16.ª rodada do Campeonato Paulista. As mudanças promovidas pelo técnico Gilson Kleina, fortalecido com o voto de confiança do presidente Paulo Nobre, não estão ligadas ao desastre no interior e sim em função do compromisso decisivo contra o Tigre, na próxima terça-feira, pela Copa Libertadores.

Sem muitas opções, o técnico resolveu dar descanso a seis titulares. Não jogam Márcio Araújo, Maurício Ramos, Wesley, Weldinho, Juninho e Charles, todos poupados - sem contar os lesionados Henrique, Valdivia, Kleber e Maikon Leite. "Esses jogadores vão ter de correr muito na terça e não podemos correr o risco de perdê-los. Estamos muito mobilizados na Libertadores", explicou Gilson Kleina, consciente de que um tropeço neste sábado no Paulistão não deve mudar a opinião da diretoria que resolveu mantê-lo no cargo, mas uma derrota contra o Tigre pode custar-lhe o emprego.

Apesar do mau momento vivido pelo time, Gilson Kleina se mostra confiante na reação. Mas diz que é preciso usar a derrota para o Mirassol como um exemplo. "Aquele resultado aumenta mais a nossa responsabilidade. Não podemos ter a postura que tivemos no último jogo".

Mesmo com um time bastante remendado, o treinador não quer saber de fazer feio mais uma vez. Nesta sexta, no último treino da equipe, Gilson Kleina cobrou bastante o posicionamento dos jogadores e uma melhora nos passes. Boa parte do trabalho foi observado pelo presidente Paulo Nobre que, por enquanto, passa confiança ao treinador.

"Eu confio na nova diretoria, mas sei que não sou unanimidade aqui. Eles estão vendo a nossa linha de trabalho, a coerência e que tem um comandante que jamais deixou de trabalhar ou resgatar o orgulho do Palmeiras", falou Gilson Kleina, já apontando um dos problemas do time. "O que falta é ter um conjunto, uma forma de jogar, pois estamos mudando (a equipe) por circunstâncias, lesões e suspensões".

O volante Souza, recuperado de lesão no joelho esquerdo, ficará no banco de reservas. A outra novidade na lista de relacionados é o lateral-esquerdo Fernandinho, que teve de passar por uma cirurgia no joelho esquerdo e não joga desde 15 de agosto do ano passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.