Palmeiras joga para eliminar Central já em Caruaru

Time de Vanderlei Luxemburgo precisa vencer por dois gols de diferença para avançar na Copa do Brasil

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2008 | 19h18

O Central ainda é um desconhecido do Palmeiras, apesar de o treinador Vanderlei Luxemburgo já ter passado um vídeo com os melhores momentos do adversário aos jogadores. O Central é um time que o Palmeiras vai respeitar - pelo menos no discurso adotado pelo elenco. Apesar do respeito, o Central é uma equipe que o Palmeiras quer ver apenas nesta quarta-feira - e não mais neste ano. Por isso, a ordem palmeirense é vencer o jogo das 21h50 (com acompanhamento do estadao.com.br), em Caruaru (PE), por mais de dois gols de diferença e eliminar a partida de volta da segunda fase da Copa do Brasil. Veja também: Calendário e resultados O Palmeiras viajou na noite de segunda-feira para Recife, treinou nesta terça na capital pernambucana e segue apenas nesta quarta para Caruaru, o local do jogo. O Estádio José Luiz Lacerda não é dos melhores e as condições do gramado preocupam os jogadores palmeirenses. Eles, no entanto, preferem falar apenas da boa fase do time.  A boa fase palmeirense tem 8 vitórias consecutivas, em 12 partidas de invencibilidade. Fase que começou a ficar mesmo boa justamente com a Copa do Brasil - 2 a 0 sobre o Cene-MS, no dia 27 de fevereiro, pela primeira fase da competição. Desde então, o Palmeiras não perdeu nem um jogo sequer. Naquele jogo, o atacante Kléber estreava na equipe palmeirense. Nesta quarta-feira, ele volta a figurar entre os titulares, após a suspensão de três jogos no Campeonato Paulista - ainda falta cumprir um jogo, no domingo, contra o Barueri, pela última rodada da competição estadual. Kléber é a esperança de gols palmeirense. O time quer marcar pelo menos dois nesta quarta-feira para eliminar o jogo de volta contra o Central e, assim, voltar todas suas forças no Paulistão - já está classificado para as semifinais.  Por isso mesmo, o Palmeiras vai com força total nesta quarta-feira. Vai partir para o ataque desde o início. E o chileno Valdivia está confiante. "Temos de matar o jogo", pediu o jogador, destaque palmeirense na temporada. "A gente conhece o Marcelo Vilar (técnico do Central, que já treinou o Palmeiras em 2006) e eles esperam por esse confronto."CentralDavi; Celso, Humberto, Bebeto e Vital; Williams, Moacir, Edu Chiquita e Doda; Leonardo e CláudioTécnico: Marcelo VilarPalmeirasMarcos; Élder Granja, Gustavo, Henrique e Leandro; Pierre, Léo Lima, Diego Souza e Valdivia, Kléber e Alex MineiroTécnico: Vanderlei LuxemburgoÁrbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)Estádio: José Luiz Lacerda, em Caruaru (PE)Horário: 21h50TV: BandeirantesValdivia está otimista, mas prega respeito ao Central. E pede atenção aos companheiros. "Futebol é momento. Eles podem ter uma bola parada, fazer o gol e complicar a tarefa do Palmeiras", lembrou o chileno. Mas um tropeço nesta quarta-feira é inadmissível nos planos palmeirenses. Sua situação pode até não se complicar tanto se perder para o Central, mas o time viajou com o objetivo único de eliminar o jogo de volta. Luxemburgo não se cansa de dizer que o grupo ainda não conquistou nada e que todos devem manter os pés no chão. Obedientes, os jogadores seguem o discurso. "A gente projeta títulos", disse Valdivia. "Não adianta ganhar 10 jogos seguidos se no fim o título não vem." O título da Copa do Brasil ou do Paulistão ainda está longe. Nesta quarta-feira, porém, o Palmeiras pode dar mais um passo rumo à conquista nacional. É a vaga nas oitavas-de-final que está em jogo. E ninguém no Palestra Itália quer saber de bobear no agreste nordestino.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa do BrasilPalmeirasCentral-PE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.