Palmeiras joga sob pressão da vitória no Maracanã

Equipe comandada pelo técnico Luxemburgo precisa bater o Fluminense para voltar a encostar no líder Grêmio

Agencia Estado

25 de outubro de 2008 | 07h19

O Palmeiras entra sob pressão para enfrentar o Fluminense neste sábado, às 16 horas, no Maracanã. Sem quatro titulares, contra um rival que briga para sair da zona de rebaixamento, o time precisa pelo menos empatar para não ficar de fora da zona de classificação para a Libertadores após 14 rodadas, além de manter na mira os adversários na luta pelo título brasileiro.Veja também:Elder Granja desfalca o Palmeiras no MaracanãPalmeirenses pregam cautela para enfrentar Fluminense Classificação  Calendário / Resultados Vote: quem vai ficar com o título do Brasileirão?  Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO técnico Vanderlei Luxemburgo, no entanto, negou que o time vá entrar pressionado na partida. "As vitórias dos concorrentes não mudam o emocional da equipe. Os resultados estão dentro do contexto da competição, geralmente quem joga em casa acaba vencendo", afirmou, sobre os triunfos de Grêmio, São Paulo e Flamengo na quinta-feira. "A equipe que vencer dois ou três jogos fora vai adquirir vantagem e fatalmente será a campeã", completou.A favor do Palmeiras está o histórico dos confrontos: há 14 anos o time não perde para o Fluminense no Rio de Janeiro. No primeiro turno, o Palmeiras venceu em casa por 3 a 1, com dois gols de Kléber. Luxemburgo tem quatro desfalques: o lateral-direito Elder Granja, que sentiu uma lesão na coxa esquerda, o meia Diego Souza e o zagueiro Roque Júnior, expulsos no clássico contra o São Paulo, e o volante Léo Lima, que levou o terceiro cartão amarelo.A novidade positiva é a volta de Martinez, que se recuperou da lesão muscular que o tirou dos últimos jogos e compõe a defesa com Gustavo e Maurício, em sua função de falso terceiro zagueiro, com liberdade para sair para o jogo. No meio, Sandro Silva será deslocado para a ala-direita, e Pierre forma com Jumar a linha de proteção à defesa. Evandro e Denilson disputam a vaga de Diego Souza como armador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.