Palmeiras junta os cacos para o clássico

Abalado com a queda na Copa do Brasil frente ao Santo André, sem técnico, com goleador Vágner Love de saída e com o meia Diego Souza em má fase, sob presão. É assim que o Palmeiras enfrenta o Santos neste domingo, na Vila Belmiro."O grupo está chateado com tudo o que está acontecendo, mas sabe que, apesar de todas as adversidades, pode conquistar um bom resultado", afirma o técnico interino Wilson Coimbra, o "Macarrão", que entrou numa verdadeira fogueira após a demissão de Jair Picerni, ocorrida na madrugada de quinta para sexta-feira."Meu desafio é levantar a auto-estima dos jogadores", diz Wilson. O interino, que fez péssima campanha com o time B do Palmeiras na Série A3 do Paulistão (só três vitórias em 14 jogos), garante não ter a ilusão de ser mantido no cargo. Ele sabe que a diretoria está atrás de um substituto para Picerni. Tite é o mais cotado."Tite é um treinador linha dura e o Palmeiras precisa de alguém assim para acompanhar de perto alguns jogadores que não vestem a camisa do clube como se deveria", avisa o goleiro Sérgio, substituto de Marcos, que está com a seleção.Neste sábado, o nome de Marinho Perez, atualmente sem clube, chegou a ser especulado no Palmeiras. Ele admite ter recebido uma sondagem de pessoas próximas ao presidente Mustafá Contursi. Mas, por ter propostas concretas tanto da seleção de Honduras como de um time de Portugal, acha "difícil" um convite palmeirense neste momento.Enquanto isso, Wilson Coimbra vai fazendo o trabalho de "bombeiro". E são muitos os focos de incêndio no clube. O mais recente atende por Diego Souza. O meia não vem jogando bem. Foi até hostilizado por membros de uma torcida organizada na porta de sua casa, na zona Norte de São Paulo, após o desastre contra o Santo André.Por isso, a diretoria pediu ao técnico interino que afastasse o jogador.O interino estava disposto a cumprir a ordem. Tanto que nem o relacionara para ficar no banco de reservas. Mas um problema de última hora com o volante Alceu obrigou Wilson Coimbra a rever o veto a Diego Souza."O Alceu sentiu uma lesão (no ombro esquerdo) e não poderá ir para o jogo. Por isso, o Diego foi relacionado", explica Wilson Coimbra, minutos após comandar uma reunião com os 18 atletas previamente relacionados para a partida. Reunião essa em que Diego Souza não estava.Amigo do meia, Vágner Love revela que o jogador não está chateado. Para o atacante, porém, a torcida pegou pesado com Diego Souza. "Os torcedores têm o direito de vaiar no estádio, mas não de ir à casa do jogador para xingá-lo", diz o atacante, que está indo para o CSKA.Sem Diego Souza, o treinador pensa em escalar o volante Adãozinho. O jogador estava afastado por Picerni havia mais de um mês. "Pelo que ele (Wilson Coimbra) conversou comigo, acho que vou jogar, sim. Fico feliz de poder voltar à equipe", diz Adãozinho, que, em tese, disputa posição com Elson.Magrão, que cumpriu suspensão contra o Santo André, volta ao time titular no lugar de Alceu. Pedrinho, lesionado, continua fora. E o atacante Kahê, recém-contratado do Nacional, ficará no banco de reservas pela primeira vez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.