Palmeiras: Leonardo quer ser Cafu

A relação envolvendo o lateral Leonardo e o Palmeiras nem começou mas já tem data para terminar. O jogador, emprestado ao clube do Parque Antártica até o encerramento do Campeonato Brasileiro, em dezembro, já avisou que ano que vem pretende estar atuando na Europa. Ao mesmo tempo, não esconde que essa passagem curta por São Paulo tem como meta maior a consolidação de seu nome como um dos prováveis substitutos de Cafu na Seleção Brasileira."Cheguei aqui para ser titular", afirma Leonardo,esquecendo-se de que poderá ter pela frente uma missão espinhosa: disputar a posição com Arce, caso o treinador Vanderlei Luxemburgo não desloque o paraguaio para o meio-campo. "Claro que o Arce é o titular, mas o segredo para se tornar um jogador respeitado é manter a regularidade". Leonardo, apesar dos 23 anos, já conheceu o lado obscuro do futebol. Após passagens sem destaque pelo futebol da Holanda e Bélgica, sentiu na pele a falta de dinheiro. Nos últimos quatro meses que precederam seu empréstimo ao Palmeiras (seu passe pertence ao empresário Eduardo Uran), não recebeu um centavo sequer do Vasco. Motivo que o fez abrir o jogo em relação ao que espera do futebol para o futuro. "Na vida a gente tem que pensar sempre em progredir, independentemente do campo de atuação. E essa determinação está ligada à parte financeira. Claro que é muito chato trabalhar e não ganhar por isso, mas acredito que na base da conversa vou receber tudo o que o Vasco me deve. Não posso falar mal de um clube que acabou abrindo as portas para mim. Saí amigavelmente de lá." No Palmeiras, Leonardo receberá R$ 35 mil, metade do que ganha o encostado Galeano. Quantia certamente inferior à oferecida pelo São Paulo, que propôs a Eduardo Uran a compra de metade dos direitos federativos do lateral. Livre para negociar, como faz questão de citar seguidamente, poderá realizar sua primeira partida oficial no novo clube quarta-feira contra o próprio Vasco em Teresina, pela segunda rodada do Grupo D da Copa dos Campeões. "O torcedor pode esperar muita velocidade nas descidas para o ataque." Vanderlei Luxemburgo não quis adiantar se o novo reforço começará jogando. A passagem de Arce para o meio-campo encontra certa resistência do paraguaio. Caso seja efetivada, fará com que o treinador tire do time um dos três volantes que vem escalando ultimamente, Magrão, Fabiano Eler ou Paulo Assunção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.