Palmeiras leva 3 a 0 do Millonarios e é eliminado

Betinho voltou a ser destaque do Palmeiras nesta terça-feira, mas dessa vez pelo lado negativo. O atacante ficou seis minutos em campo em Bogotá, levou um amarelo, um vermelho, e, assim como todo o restante do time, nada fez para impedir que o Millonarios vencesse por 3 a 0 para se classificar para as quartas de final da Copa Sul-Americana, eliminando o time de Gilson Kleina. No jogo de ida, em São Paulo, o time paulista vencera por 3 a 1.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

24 de outubro de 2012 | 00h59

A equipe colombiana dominou completamente o primeiro tempo, mas só fez um gol, quando poderia ter goleado. O Palmeiras melhorou depois do intervalo. Pecou na defesa, num pênalti de Leandro Amaro, e no nervosismo, principalmente depois de levar o terceiro. Além de Betinho, Luan também deveria ter sido expulso.

Barcos, que pediu para jogar na Colômbia, participou pouco do jogo, mas criou a melhor chance da equipe. Jogadores pouco aproveitados por Kleina que tiveram uma chance nesta terça, como Leandro Amaro, Patrik, Daniel Carvalho e Mazinho, mostraram por que estão encostados.

Agora o Palmeiras pensa apenas no Brasileirão. Tentando escapar do rebaixamento, a equipe tem pela frente o Internacional, sábado, em Porto Alegre. O Millonarios espera o vencedor de Grêmio e Barcelona de Guayaquil para conhecer seu adversário nas quartas da sul-americana.

O JOGO - O Palmeiras entrou em campo com um time misto em Bogotá. Sem Henrique, Marcos Assunção, Thiago Heleno, Luan e Maikon Leite, entre outros, e sem poder contar com os garotos como João Denoni e Patrick Vieira, que não estão inscritos na Sul-Americana, Gilson Kleina se virou com o que tinha. Tanto que deu chance a Daniel Carvalho e escalou o encostado Patrik no meio-campo.

Desentrosado, o time levou um baile do Millonarios no primeiro tempo, que poderia ter acabado com uma goleada histórica. Nas contas oficiais, foram 10 chutes a gol do time colombiano, os mais perigosos entre os 20 e os 35 minutos.

A primeira chance foi com Cosme, que deixou Leandro Amaro no chão e mandou por cima do gol. O lance mostrou o grande problema que teria o Palmeiras com sua defesa. Aos 20, foi Rentería (ex-Internacional e Santos), quem deixou Artur sentado. Ele rolou e Cosme mandou à direita da trave.

Otálvaro, com um chute de fora da área, Cantero, em jogada individual, e Renteria, livre na área, também tentaram, sem sucesso, abrir o placar. O primeiro gol só veio aos 34, quando Cosme recebeu pela direita e tocou para trás. Rentería fez que ia chutar, enganou Leandro Amaro, e fez o corta-luz para Ortíz bater de chapa e anotar bonito gol.

Com Luan no lugar de Mazinho e, depois, Obina na vaga de Daniel Carvalho, o Palmeiras melhorou consideravelmente e passou a mandar em campo. O domínio durou 15 minutos, até que Leandro Amaro cometeu pênalti sobre Ortíz. Rentería foi para a cobrança, bateu no meio, e fez o segundo. Os palmeirenses reclamaram - com justiça - que um jogador do Millonarios invadiu a área com muita antecedência.

A crítica ao árbitro peruano Victor Camillo, porém, não podia ir longe. O juiz foi complacente quando Barcos fez falta dura em Ochoa. Ajudou mais ainda os brasileiros quando Luan, já com cartão amarelo, acertou dois chutes por trás em Rentería e Camillo nada fez.

Com o jogo tenso, o Palmeiras voltou a crescer. Na sua primeira boa jogada, aos 25, Barcos chutou forte e fez Delgado trabalhar pela primeira vez. Mas aí Ochoa recebeu na área, bateu forte, e marcou o terceiro.

Betinho entrou no lugar de Patrik para tentar ser mais uma vez o salvador, mas só fez besteira. Primeiro empurrou Candelo quando esse saia de campo para ser substituído. Depois, chutou se enroscou com Vasquez e foi expulso. Com o Palmeiras morto, Rentería ainda acertou o travessão.

FICHA TÉCNICA:

MILLONARIOS 3 X 0 PALMEIRAS

MILLONARIOS - Luis Delgado; Ochoa, Franco, Torres e Martinez; Ortíz, Ramírez, Otálvaro (Robayo) e Tancredi; Candelo (Blanco), Renteria e Cosme (Vázquez). Técnico - Hernán Torres

PALMEIRAS - Bruno; Artur, Maurício Ramos, Leandro Amaro e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, Patrik (Betinho), Tiago Real e Daniel Carvalho (Obina); Mazinho (Luan) e Barcos. Técnico - Gilson Kleina.

GOL - Ortíz, aos 34 minutos do primeiro tempo. Rentería (de pênalti), aos 15, e Ochoa, aos 31 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Victor Camillo (Peru).

CARTÕES AMARELOS - Torres, Vázquez, Betinho, Luan e Patrik.

CARTÃO VERMELHO - Betinho.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Nemesio Camacho, em Bogotá (Colômbia).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasCopa Sul-Americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.