JARDEL DA COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS
JARDEL DA COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS

Palmeiras dá vexame em dia de arbitragem confusa em Chapecó

Árbitro expulsa, volta atrás e paulistas levam 5 a 1 da Chapecoense

O Estado de S. Paulo

04 de outubro de 2015 | 20h39

O Palmeiras ficou devendo futebol, foi goleado pela Chapecoense fora de casa por 5 a 1 e acabou saindo do G-4 do Campeonato Brasileiro. Com uma atuação bem abaixo da média, o time estacionou nos 45 pontos na classificação em sua pior derrota no ano. O duelo ainda ficou marcado por uma polêmica com a arbitragem.

A Chapecoense abriu o placar rapidamente em uma jogada de bola parada. Na cobrança de escanteio de Camilo, o zagueiro Neto subiu alto e mandou para o gol, de cabeça, colocando os donos da casa em vantagem e deixando o Palmeiras atordoado na partida.

Pouco depois, aos 15, veio a grande polêmica do jogo, quando o árbitro Jailson Macedo Freitas expulsou Egídio – injustamente, diga-se de passagem – após uma falta em Barbio, mas depois de quase cinco minutos voltou atrás ao ser avisado pelo auxiliar e pelo quarto árbitro Daniel Nobre Bins.

O mais inusitado é que Egídio já estava no vestiário quando o juiz voltou atrás em sua decisão de expulsá-lo e teve de voltar às pressas para o campo. Os jogadores da Chapecoense ficaram indignados com a situação e reclamaram dizendo que a arbitragem utilizou a tecnologia para decidir, algo que a Fifa proíbe.

Só que a anulação do cartão vermelho não encheu o Palmeiras de moral, pela contrário. O time continuou mal na partida e não demorou a tomar o segundo gol, quando Barbio disparou pela direita, superou dois marcadores e tocou para o meio da área. Tulio de Melo apenas ajeitou e Camilo mandou para o gol. A Chapecoense poderia ter feito outro com Barbio, mas Fernando Prass fez ótima defesa.

No posicionamento em campo, os dois times estavam parecidos, com cinco jogadores no meio, sendo dois volantes e três meias. Só que enquanto Dudu, Rafael Marques e Gabriel Jesus não mostravam inspiração, do outro lado Camilo, Barbio e Maranhão infernizavam a defesa adversária. Para piorar, Arouca ainda saiu machucado.

Na etapa final, o técnico Marcelo Oliveira colocou João Pedro, que foi para a lateral e Lucas passou a atuar no meio. Só que em novo escanteio, Tulio de Melo anotou o terceiro do time da casa, de cabeça, e a arbitragem mais uma vez se confundiu e demorou a confirmar o gol.

O vento de esperança soprou quatro minutos depois quando Dudu diminuiu após cabeçada de Rafael Marques. Só que a Chapecoense manteve o ritmo forte e logo fez o quarto gol, com Apodi, aproveitando o rebote de Fernando Prass no chute de Barbio.

Nos últimos minutos, o duelo ficou aberto, com o Palmeiras tendo boas chances, sendo duas desperdiçadas por excesso de individualismo de Gabriel Jesus. Do outro lado a Chapecoense exigia defesas de Prass, como em um belo chute de Apodi. E no final Ananias fez o quinto, fechando a goleada.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 5 X 1 PALMEIRAS

CHAPECOENSE: Danilo; Apodi, Neto (Rafael Lima), Thiego e Dener; Bruno Silva, Cléber Santana, Barbio (Neném), Camilo e Maranhão (Ananias); Túlio de Melo. Técnico: Guto Ferreira.

PALMEIRAS: Fernando Prass;  Lucas, Jackson, Vítor Hugo e Egídio;  Amaral (João Pedro), Arouca (Andrei Girotto), Gabriel Jesus, Rafael Marques (Allione) e Dudu; Barrios. Técnico: Marcelo Oliveira.

Gols: Neto, aos 4, e Camilo, aos 22 minutos do 1º tempo; Tulio de Melo, aos 9, Dudu, aos 13, Apodi, aos 19, e Ananias, aos 41 minutos do 2º tempo.

Juiz: Jailson Macedo Freitas (BA).

Cartões amarelos: Andrei Girotto, Fernando Prass, Egídio (3º), Jackson (3º) e Gabriel Jesus.

Renda: R$ 323.565,00.

Público: 16.474 pagantes.

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.