Palmeiras luta para agradar a torcida

O Palmeiras entra em campo disposto a contentar sua exigente torcida, que ainda não superou a eliminação na Copa do Brasil para o Asa, de Arapiraca. Para isto, nada melhor do que uma vitória sobre o Fluminense neste domingo, às 16 horas, no Palestra Itália. Dessa forma, o time continuará na liderança do Torneio Rio-São Paulo. Os jogadores nem admitem falar em sentimento de revanche em relação à goleada de 6 a 2 sofrida no Campeonato Brasileiro do ano passado. "Aquele jogo ficou para trás", garante Vanderlei Luxemburgo. O treinador prevê dificuldade na partida, porque o Fluminense, em situação delicada na competição, precisa da vitória e "deve partir para cima". O zagueiro César concorda com a avaliação do técnico sobre a qualidade do adversário. "Não é um time fácil de marcar, porque não vive só de uma jogada e muita gente com capacidade de decidir", avisa. Mas César e companheiros sabem que o argumento não é suficiente para diminuir a responsabilidade de vitória da equipe. "A torcida quer ver o time ganhar", diz o lateral Daniel, que deve ser improvisado no lugar de Adalto na esquerda. Em troca, todos pedem apoio e compreensão dos torcedores. Outra mudança no time do Palmeiras deverá ser a presença do volante Paulo Assunção no lugar de Galeano, que fica no banco após se recuperar de contusão. Luxemburgo durante a semana fez uma série de testes para tornar a equipe mais veloz. Já o Fluminense tenta se reabilitar das duas últimas derrotas no Rio-São Paulo (3 a 0 para o Etti Jundiaí e 4 a 3 para a Portuguesa). O técnico Oswaldo de Oliveira deve escalar o meia Paulo Isidoro, que marcou o seu primeiro gol com a camisa do clube, na vitória por 2 a 1, sobre o Paysandu, pela Copa do Brasil, na quarta-feira. Com isso, o meia Roger deve jogar no ataque ao lado de Magno Alves. O zagueiro Régis cumpre suspensão automática e será substituído por César. Seu companheiro será Maurício Fernandes. Outro desfalque é o do volante Sidney, com estiramento muscular na coxa esquerda; Fabinho será o substituto. O atacante Magno Alves destacou que a partida não será fácil, principalmente por causa da goleada do ano passado. "Ninguém gosta de perder daquela forma, ainda mais em casa", afirmou o jogador.

Agencia Estado,

02 Março 2002 | 15h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.