Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras mantém força defensiva mesmo com mudanças na zaga

Vitor Hugo e Antônio Carlos devem ser os titulares contra o Audax, sábado, no Paulistão

Nathalia Garcia, O Estado de S.Paulo

24 de março de 2017 | 07h00

O rodízio na escalação promovido pelo técnico Eduardo Baptista no Palmeiras vai continuar contra o Audax, no sábado, pelo Campeonato Paulista. E, apesar da troca dos titulares nos últimos jogos, a força defensiva do time continua inabalável. Com apenas cinco gols sofridos, a equipe alviverde é a menos vazada do Estadual. 

"Quanto à zaga, a gente está bem confiante. O que fizermos, as coisas vão andar. Tinha o Mina, tem o Antônio Carlos. A partida que ele fez (contra o Mirassol) mostrou o Antônio Carlos que trabalhou comigo no ano passado (na Ponte Preta). O Edu vive um momento físico e técnico importantíssimo", exaltou o treinador.

Preocupado com o desgaste físico de Edu Dracena, Baptista decidiu dar descanso ao zagueiro de 34 anos na próxima partida. E, contra o Audax, o técnico contará com a volta de Vitor Hugo, que cumpriu suspensão do TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) pela cotovelada dada no corintiano Pablo no clássico. Nas três partidas - duas do Paulistão e uma da Libertadores - que não esteve em campo, o Palmeiras levou apenas um gol (no clássico com o Santos).

À disposição do treinador, Vitor Hugo vê a punição como aprendizado. "Nenhum jogador gosta de ficar fora, ainda mais por suspensão. Aprendi muito com tudo o que aconteceu e agora é um recomeço na temporada para mim. Sei do meu potencial, do que já rendi e do que posso render ainda mais para ajudar o Palmeiras", ressaltou.

Enquanto o zagueiro Yerry Mina defende a seleção colombiana nas Eliminatórias da Copa e Thiago Martins se recupera de lesão, Antônio Carlos quer corresponder às necessidades do grupo. Contra o Mirassol, o jogador de 24 anos fez sua primeira partida como titular na temporada e arrancou elogios do treinador. Para ele, o contato com atletas mais experientes tem sido fundamental para sua evolução.

O zagueiro também aponta o comprometimento de todo o elenco na marcação como um dos pontos fortes do Palmeiras. "Uma das característica do sistema defensivo hoje é começar marcando lá na frente. A bola acaba chegando quebrada lá atrás, um pouco mais torta do que deveria ser e fica mais fácil. È um dos pontos positivos para que a gente possa tomar menos gols."

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolPalmeirasCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.