JF Diorio/ Estadão
JF Diorio/ Estadão

Marcos Assunção lamenta morte de torcedor do Palmeiras: 'Meu amigo de infância'

Ex-jogador do clube alviverde se manifesta nas redes em sinal de luto pelo assassinato de Dante Luiz Oliveira Rosa. Homem foi morto nos arredores do Allianz Parque com um tiro no tórax após derrota contra o Chelsea

Redação, Estadão Conteúdo

13 de fevereiro de 2022 | 18h16

Marcos Assunção viveu um sábado duplamente triste. Além de lamentar a derrota do Palmeiras na final do Mundial de Clubes diante do Chelsea, o ex-meio-campista do clube ainda ficou sabendo que o torcedor morto com um tiro nos arredores do Allianz Parque era seu amigo de infância, com o qual cresceu junto no bairro de Laranjeiras.

O jogador fez um post de luto em seu Instagram com a foto de Dante Luiz Oliveira Rosa, de 40 anos, que foi baleado no tórax por José Ribeiro Apóstolo Junior, um agente penitenciário que estava com a torcida palmeirense na Rua Palestra Itália e acabou efetuando o disparo por motivo ainda desconhecido. O suspeito está preso e foi indiciado por homicídio doloso.

Dante foi resgatado e levado ao Hospital das Clínicas, em estado grave, mas acabou não resistindo. "Foram 22 anos de carreira como atleta profissional, e além de sempre gostar de futebol, vivi o futebol da forma mais intensa tendo isso como minha profissão. Sei o quanto o futebol mexe com as pessoas, mas o que sempre me emocionou foi ver pai e o filho se abraçando na hora do gol, ver o casal se beijando e comemorando, e ver pessoas chorando porque seu time ganhou um título, essa é a magia do futebol", iniciou Marcos Assunção.

"Mas por que estou escrevendo isso? Ontem, depois da final, todos ficaram sabendo da morte de um torcedor nos arredores do Allianz Parque, além de um ser humano, ele era meu amigo de infância. Morador de Laranjeiras, onde cresci. Quando o Dante chegou no bairro, fui um dos primeiros amigos dele, tínhamos apenas 3 anos de diferença, jogamos videogame juntos, andávamos de carrinho de rolimã, jogávamos futebol e tive o prazer de conhecer a família dele", continuou.

"Seu pai, seu Dirceu, era muito amigo do meu pai, e pude ver de perto o Dante crescer e ter uma família, mas infelizmente ontem, um filho perdeu um pai. E aqui deixo a minha homenagem ao meu amigo e um recado a todos que leem essa mensagem: Futebol é alegria! Nós saímos de casa para voltar para a nossa família, e como um ex-atleta, eu repudio qualquer tipo de violência a qualquer torcedor adversário, quanto mais a um do próprio time."

Torcedores do Palmeiras nas imediações do Allianz Parque brigaram entre si com a Polícia Militar, que precisou usar da força, com gás, para conter os arruaceiros depois da derrota do time para o Chelsea. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.