Palmeiras minimiza vantagem na Copa Sul-Americana

Um dia depois de vencer o Goiás, no Serra Dourada, o Palmeiras desembarcou em São Paulo com um discurso comedido. Para os jogadores, a vitória por 1 a 0 e a vantagem de jogar por um empate, no Pacaembu, não podem dar tranquilidade ao time, que luta por uma vaga na final da Copa Sul-Americana.

AE, Agência Estado

18 de novembro de 2010 | 17h51

"Não tem nada garantido e avalio que a vantagem é mínima. Em mata-mata, o duelo é sempre decidido em 180 minutos e, por isso, vamos entrar ainda mais atentos no duelo da volta", pregou o volante Marcos Assunção, autor do gol da vitória de quarta-feira.

O zagueiro Maurício Ramos comemorou o triunfo, mas lembrou das últimas atuações do Goiás como visitante. "Fazia tempo que a gente não vencia no Serra Dourada. Em Goiânia é sempre muito complicado, mas nós fomos fortes. Se faltou qualidade, sobrou raça e determinação. Acho que jogos de mata-mata também se decidem assim. Só não podemos achar que estamos classificados, pois o Goiás é forte atuando como visitante".

O goleiro Deola também mostrou preocupação com o desempenho do rival, que venceu o Avaí em Florianópolis, pela Sul-Americana, e o então líder Fluminense, no Engenhão, pelo Campeonato Brasileiro. "Eles demonstraram serem fortes como visitantes. Vamos entrar bastante concentrados no Pacaembu", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.