Clayton de Souza/Estadão
Clayton de Souza/Estadão

Palmeiras não deve priorizar competições, diz Prass

Goleiro disse que a Série B não pode ser deixada em segundo plano mesmo com a disputa da Copa do Brasil

CIRO CAMPOS, Agência Estado

19 de agosto de 2013 | 16h12

SÃO PAULO - O goleiro Fernando Prass afirmou nesta segunda-feira que o Palmeiras não deve priorizar competição nesta temporada. Apesar da liderança na Série B e dos 11 jogos de invencibilidade, o jogador disse que a competição não pode ser deixada em segundo plano mesmo com a disputa da Copa do Brasil, competição em que o clube estreia na próxima quarta-feira.

"Pelo nosso grupo equilibrado, com todos os jogadores que têm entrando e vem jogando bem, não tem motivo para priorizar. Temos condições para levar os dois torneios em um nível bom", afirmou.

O primeiro adversário na Copa do Brasil será o Atlético-PR, no Pacaembu, em jogo de ida das oitavas de final. O Palmeiras é o atual campeão do torneio e caso seja novamente o vencedor, será bicampeão inédito da competição e, de quebra, garantirá vaga na Copa Libertadores.

A Série B também é tratada com seriedade pelo time por ser a chance de garantir a volta à Série A do Campeonato Brasileiro no ano em que o clube completa cem anos. "Vamos nos programar bem para todos os jogos. Nossa comissão acompanha o desgaste de cada atleta e quando há risco de alguém se lesionar, repensamos o time", explicou o goleiro.

O clube tem ao todo 37 jogadores no elenco, o que permite ao técnico Gilson Kleina ter uma variedade de opções para escalar. Nos dois últimos jogos o Palmeiras deu uma amostra da força do elenco. Tanto contra o Joinville, fora de casa, como contra o Paysandu, sábado, no Pacaembu, a equipe esteve desfalcada de Valdivia, o principal jogador. Nas duas oportunidades o meia paraguaio Mendieta marcou gols e foi o destaque.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasFernando Prass

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.