Palmeiras não investirá muito em reforços

Rivaldo, Arce, Edmundo. São sonhos para os palmeirenses. Mas a realidade do clube, deixou bem claro o diretor Mário Giannini, está dentro de uma planilha de receitas e de custos. O Palmeiras de 2004 será como o de 2003. Não fará nenhuma loucura. Jogadores com altos salários, como Rivaldo e Arce, só com um aporte extra de dinheiro, porque o orçamento do ano que vem não deve ser muito diferente do deste ano."Conversei com o presidente Mustafá e ele não acredita em uma receita maior agora que estamos na Série A. Temos de trabalhar com o que vamos arrecadar", explicou Giannini.Com isso, Rivaldo não deve passar de um sonho dos torcedores. O diretor admitiu ter almoçado com Carlos Arini, procurador e sócio do ex-jogador do Milan, mas em nenhum momento foi oficializada uma proposta pelo jogador. "Ele (Arini) é uma pessoa do nosso relacionamento, representante de um jogador do Palmeiras (Marcinho) e só almoçamos. Nada foi discutido", contou.No caso de Arce, o Palmeiras não tem interesse pelo jogador. O maior obstáculo são os altos salários. "Arce e Rivaldo são muito ligados ao clube, mas não temos interesse por eles", disse Giannini.Sem aumento nas receitas, a política do clube não muda. O bom e barato continua em alta na Academia de Futebol. Os reforços, se vierem, serão de jogadores desconhecidos, mas com potencial para ?explodir? na equipe. "Quem conhecia o Marcinho, do Figueirense, quando nós o contratamos? E o Lúcio e o Élson? Diziam que eles não tinham condição de jogar em um time grande como o Palmeiras. E hoje? Todos eles se valorizaram. O Palmeiras é uma vitrine para os jogadores", justificou o dirigente.Nesse momento, a prioridade é renovar o contrato com os jogadores. Esse foi um pedido do técnico Jair Picerni. Mas sem loucuras. No caso de Baiano, por exemplo, o presidente Mustafá achou o contrato de dois anos muito longo. Sobre Lúcio e Élson, o Palmeiras gostaria de renovar o empréstimo por mais um ano, enquanto Oliveira Júnior, empresário do Ituano, tem a intenção de vender os direitos federativos dos dois jogadores.Até agora, apenas o zagueiro Leonardo teve a renovação antecipada. "Não assinamos nada, mas já conversamos e está tudo praticamente certo", confirmou Giannini. O atacante André foi devolvido para o Benfica, dona dos direitos federativos do atleta. Foi o primeiro a deixar oficialmente o Palmeiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.