Palmeiras não pode mais tropeçar

No caminho para a Libertadores, o Palmeiras já tropeçou em todas as pedras que poderia tropeçar. Nas duas últimas rodadas, por exemplo, ?deu com o dedão? no Guarani e no Flamengo em pleno Parque Antártica. Mesmo assim, seguiu de pé. Neste sábado, contra o Goiás, às 18h10, em Goiânia, o time terá uma nova chance. Se vencer, segue na briga. Se perder (e São Caetano e São Paulo ganharem na rodada), dá adeus à Libertadores. "É por isso que eu deixei bem claro para os jogadores: é vencer ou vencer", diz o técnico Estevam Soares.A maior preocupação do treinador, só para variar, é com o moral do elenco. Os jogadores passaram por uma semana conturbada, com vários problemas extra-campo. Se fosse a primeira vez, até que não seria tão ruim. Mas os problemas (principalmente as intrigas no elenco) têm se tornado comuns. O volante Magrão, por exemplo, fez um desabafo na quinta-feira, dizendo que não agüentava mais tanta fofoca em torno da equipe. Algumas das maiores preocupações são as férias antecipadas e uma suposta lista de dispensas que estaria sendo preparada pelo presidente Mustafá Contursi. "Mas não podemos ficar pensando nisso. Temos que nos focar no nosso objetivo, que é a vaga na Libertadores. E para conseguirmos isso, temos que vencer os três jogos que nos restam", diz Estevam.Para isso, o técnico mexeu bastante na equipe. Em relação ao time que perdeu por 2 a 1 para o Flamengo, domingo passado, foram três alterações: saíram Alceu (que não ficará nem no banco), Claudecir e Thiago Gentil, entraram Daniel, Marcinho e Diego Souza. Com essas mudanças, o meia Pedrinho torna a jogar no ataque. E o esquema deixa de ser o 4-4-2 e volta a ser o 3-5-2. "Foi desse jeito que conseguimos aquela seqüência de seis vitórias", diz Estevam, que não esconde as instruções que deu para sua equipe. "O importante é que o time fique mais agrupado. Sem a bola, voltam todos. Com a bola, a defesa avança e o time fica mais compactado".Independentemente do resultado deste jogo, porém, o Palmeiras pode seguir na luta pela Libertadores. Mas aí terá de torcer para que o STJD puna o São Caetano, quarto colocado, com a perda de 24 pontos pela morte do zagueiro Serginho. O julgamento deve ocorrer na segunda-feira. No Palmeiras, muita gente dá como certa a punição ao São Caetano. Estevam Soares não quer que ninguém ?amarre o burro na sombra? por causa disso. "Não sabemos e não podemos ficar pensando no que vai ocorrer no tribunal. Temos que tentar ganhar a vaga em campo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.