Palmeiras não pode temer altitude, diz Diego Souza

Meia evita dizer que alviverde é o favorito e afirma que a equipe deve encarar o confronto com naturalidade

Agencia Estado

30 de janeiro de 2009 | 18h06

Depois de golear o Real Potosí por 5 a 1 na quinta-feira e conquistar uma boa vantagem para o jogo de volta na Bolívia, pela Copa Libertadores, o meia Diego Souza afirmou que o Palmeiras não pode temer a altitude de 4 mil metros da cidade boliviana de Potosí.Veja também:Goleada deixa Palmeiras confiante na classificaçãoPalmeiras anuncia novo reforço: o paraguaio 'Ortigol'Oito titulares do Palmeiras já viajam para Bolívia Confira as novidades do mercado do futebol Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão "Não podemos encarar a altitude como se fosse um bicho papão. Nós sabemos das dificuldades, mas temos que chegar lá e encarar esse jogo da volta com naturalidade", declarou o meia, autor de um dos gols no jogo disputado no Palestra Itália. "Fiquei feliz, queria muito ter marcado um gol, ainda mais por se tratar de Libertadores. O elenco está de parabéns, estão todos 'voando' e dando a vida para conseguir as vitórias", completou o atleta.Diego Souza, no entanto, quer evitar o favoritismo e lembra de um revés do Palmeiras na competição, em 1995. "Lembro de um jogo em que o Grêmio venceu o Palmeiras por 5 a 0 no Olímpico e depois o Palmeiras venceu por 5 a 1. Não classificou, mas mostrou que não era impossível. Não podemos achar que estamos garantidos, pois lá vai ser muito mais difícil do que aqui", ressaltou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.