Palmeiras não quer correr riscos

A partida entre Palmeiras e América, hoje às 16h, no Parque Antártica, pelo Torneio Rio-São Paulo, não marcará apenas o reencontro da equipe paulista com a torcida, após a vergonhosa eliminação na Copa do Brasil, pelo ASA de Arapiraca. Uma derrota em casa para o último colocado da competição colocará em risco a seqüência do trabalho de Vanderlei Luxemburgo no clube, bem como de toda a comissão técnica. Por isso, o treinador lançou mão de várias frases de efeito tentando motivar o elenco, com base na campanha no torneio. "Somos líderes do Rio-São Paulo. E isso é o que importa no momento. O ASA já faz parte do passado."Mas o medo da torcida ficou evidenciado nas palavras do Luxemburgo. A ponto de o treinador não se atrever sequer a imaginar o clima que os jogadores encontrarão a partir do momento em que entrarem em campo. "Se jogarmos bem, tenho certeza que os torcedores passarão a jogar com a gente. Mas se o futebol apresentado não for o esperado, as vaias serão inevitáveis", espera o goleiro Marcos, que admitiu ter xingado um torcedor no Parque Antártica após a equipe ter sido eliminada da Copa do Brasil. "No futebol profissional não existe espaço para lamentações. Teremos de mostrar em campo o nosso favoritismo", disse o goleiro.Luxemburgo buscou força até mesmo em surrados ditados populares para motivar o grupo. "A vida nos ensina diariamente. Só nos resta aprender a lição." Mas basta relembrar o estrago causado pela equipe alagoana para o treinador admitir que não será fácil esquecê-lo. O problema será fazer a torcida acompanhar o seu raciocínio. "Crescemos com a derrota, que machuca demais. Apesar de não termos perdido para o ASA. Vencemos o jogo por 2 a 1, mas faltou um golzinho para seguirmos adiante."Admitindo estar longe de sua forma ideal, Alex procurou encarar a partida deste domingo como se fosse apenas mais uma. "Estou chegando agora ao clube. Realizei apenas dois jogos inteiros." Para tentar reconquistar a confiança da torcida, abalada após a atuação diante do ASA, o meia aposta no fato de que, a partir de agora, sem jogos no meio da semana, terá mais tempo para se preparar. "Esse assunto já foi conversado até mesmo com o Luxemburgo", explica, fazendo força para não cair em desgraça com o treinador que lutou para que ele retornasse ao Parque Antártica.Alex não quer assumir sozinho o peso da responsabilidade. "Não joguei bem na quarta-feira, admito. E nem cheguei a alguma conclusão sobre o motivo pelo qual isso aconteceu. Mas o Palmeiras é um time com grandes jogadores, que já passou por situações até piores do que essa e soube como reverter. O problema é que, mesmo com o adversário sendo o América, o jogo não será fácil." O atacante Christian aposta no caráter dos jogadores do Palmeiras para começar a reconquistar a torcida. "Mais do que nunca, o grupo terá de ser forte e unido." O América vai tentar marcar seu primeiro ponto no Torneio Rio-São Paulo. Mas a semana que passou foi marcada pela demissão do técnico Mário Marques, dispensado após a derrota por 4 a 2 para o Guarani, no domingo anterior. Hoje, a equipe será dirigida interinamente por Renato Carioca. O novo contratado para tentar salvar a equipe do rebaixamento, Carlos Alberto Torres, assistirá ao jogo. "Irei observar os jogadores que tenho na mão", comentou Torres. Para hoje, Renato não tem problemas para escalar o time. Deve manter a equipe que perdeu para o Guarani.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.