Palmeiras não vai demitir Bonamigo

Mais confusão no Palmeiras. Depois da lista de dispensa e da eliminação na Copa Libertadores da América, o clima continua de degola. O diretor de futebol Salvador Palaia teve de ir ao Centro de Treinamento hoje jurar que Paulo Bonamigo não seria mandado embora após a derrota para o Goiás, sábado, em Goiânia. Palaia também foi questionado sobre os boatos de que Bruno foi afastado na noite de domingo e readmitido na manhã de hoje por falta de outro lateral-direito. O dirigente negou. O Palmeiras ocupa o perigoso 16° lugar no Campeonato Brasileiro, com apenas sete pontos em sete partidas. Está a um ponto da zona do rebaixamento. Para acalmar a situação, e desviar o foco de tantos vexames Palaia está tentando desesperadamente contratar Gamarra. "Vamos ter calma. O Bonamigo teve pouco tempo para preparar o time. O Brasileiro está apenas começando. Não dá nem para falar em rebaixamento. O Palmeiras ainda vai dar orgulho aos seus torcedores. Estamos buscando reforços. O Bruno não está jogando bem, mas me aponte um lateral que eu vou atrás", dizia o dirigente aos jornalistas. Ele está tentando buscar Baiano do Boca Juniors. O lateral titular do clube, Bruno, estava assustadíssimo. Fez questão de dar entrevista hoje. Tudo para acalmar parentes e amigos, preocupados com os boatos sobre a sua dispensa. "Eu não vou embora, não, gente. Até treinei com o resto do time. Eu não joguei bem contra o Goiás, mas não vou ser o único culpado por mais essa derrota do Palmeiras. O que é ruim aqui é que quando o time perde se fala em dispensa ou se procura um jogador para ser responsabilizado. Assim fica difícil, porque ninguém tem tranqüilidade para mostrar o que sabe", diz o tenso lateral. Só que conselheiros ligados à diretoria confirmam a firme vontade de dispensa de Bruno. Ele já perdeu a posição de titular para Corrêa, que atuará contra o Vasco na lateral por imposição de Bonamigo. O atleta não quer mais ser improvisado nessa posição. Só que teve de se submeter à pressão do técnico, que não confia mais em Bruno, seu único lateral direito. Enquanto Palaia tentava acalmar os jornalistas, falando sobre tentativa de contratações, Bonamigo se reunia com os jogadores e cobrava mais personalidade do time. Aos atletas ele apelou para a palavra mais utilizada pelos treinadores no Brasil. Pediu "atitude" dos jogadores, que eles não se intimidem se o time tomar o primeiro gol e que confiem no talento do companheiro. Bonamigo teve um apoio importante no elenco. Juninho Paulista e Sérgio pediram a Palaia que mantenha o treinador, apesar dos péssimos resultados. Eles sentiram o clima ruim e a possibilidade de nova troca de comando. Este ano o Palmeiras já demitiu Estevam Soares e Candinho. "O nosso técnico está fazendo o que pode. Não está faltando trabalho ao Palmeiras. Só um pouco de sorte e dar um pouco de paz aos meninos", pediu Juninho Paulista. A diretoria concordou. Pelo menos, até a partida de sábado contra o Vasco no Parque Antártica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.