Palmeiras nega acordo de resultados

O Palmeiras entra em campo nesta quarta-feira, às 21h40, no Palestra Itália, para enfrentar o Cerro Porteño, pela última rodada da primeira fase da Copa Libertadores da América, com um dilema. Por uma circunstância da tabela, talvez seja melhor para a equipe de Celso Roth, que está em segundo lugar do Grupo 2, com 13 pontos (o mesmo número dos paraguaios, que lideram por causa do saldo de gols, 14 contra 8) manter a atual colocação.São duas as hipóteses: se vencer, a equipe assume o primeiro lugar, mas corre o risco de enfrentar adversários fortes e tradicionais já na segunda fase, como Cruzeiro, nas quartas-de-final, e Vasco ou Boca Juniors, nas semifinais. Ficando em segundo, as próximas etapas tornam-se, teoricamente, mais fáceis, tendo à frente Olmedo, do Equador, ou São Caetano e El Nacional, do Uruguai.Contudo, os jogadores e membros da comissão técnica fazem questão de ressaltar que não estão sequer considerando essas alternativas. "No futebol a teoria não quer dizer muita coisa. Estamos num bom momento e a idéia é continuar com vitórias", afirmou o meia Alex.O técnico Celso Roth faz coro. Para ele, esse assunto repercute apenas entre jornalistas e torcedores. "Esse negócio de jogar para perder não passa de especulação", garantiu. "Buscamos sempre o melhor e, no futebol, isso representa vitórias", completou.Chance - Parece que o atacante Tupã agradou mesmo. Roth decidiu mantê-lo como companheiro de ataque de Fábio Júnior. Será a primeira partida do jogador numa Libertadores. "O Tupã foi bem em Araras. Além disso, dá mais movimentação ao nosso lado esquerdo, jogando com o Alex e o Felipe", explicou o treinador. "Jogar nessa competição não me deixa nervoso.?Não ficava assim quando trabalhava na roça, então não é agora que vou sentir isso", disse o novo titular palmeirense. Hoje o zagueiro Argel esteve em São Paulo para participar de uma reunião com dirigentes do clube. Ele estaria negociando sua volta ao time, depois de ter sido afastado por desentendimentos com o antigo treinador Marco Aurélio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.