Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Palmeiras passa pelo Atlético-MG por 2 a 0 na Copa Sul-Americana

Marcos Assunção e Luan marcam e garantem a vaga nas semifinais diante de Avaí ou Goiás; Valdívia atua por apenas 15 minutos, volta a sentir dores na coxa e é substituído

ANDRÉ RIGUE, estadão.com.br

10 Novembro 2010 | 23h41

Foi duro, mas o Palmeiras avançou às semifinais da Copa Sul-Americana. Apesar de Valdívia deixar o gramado de novo nos primeiros minutos por causa da lesão na coxa esquerda, o time alviverde bateu os reservas do Atlético-MG por 2 a 0 e garantiu a classificação. Pegará agora o vencedor do jogo entre Avaí e Goiás, que duelam nesta quinta-feira na Ressacada.

Veja também:

linkFelipão se recusa a comentar lesão de Valdívia

O jogo no Pacaembu registrou um tumulto devido à desorganização na entrada dos torcedores. Muitos palmeirenses que compraram ingressos para a numerada não conseguiram entrar no horário por causa da superlotação. Em contrapartida, as arquibancadas registraram alguns espaços vazios. Mais de 35 mil comparecem ao estádio, recorde do Palmeiras na temporada.

 

Os torcedores que conseguiram entrar aguardaram com ansiedade para ver Valdívia, que segundo o departamento médico do Palmeiras estava completamente recuperado das dores na fibrose da coxa esquerda. Mas o chileno só aguentou 15 minutos em campo antes de sentir uma fisgada e ser substituído por Lincoln.

 

No primeiro jogo contra o Atlético-MG, no empate por 1 a 1, Valdívia aguentou apenas 18 minutos em Minas. A nova saída repentina nesta quarta-feira chegou a deixar os palmeirenses com a pulga atrás da orelha. Para complicar ainda mais, o Atlético-MG assustou com um chute de Ricardo Bueno no cantinho, que teve um desvio salvador de Deola.

 

O Palmeiras teve o maior controle da posse de bola no primeiro tempo, mas só conseguiu abrir o marcador aos 26 minutos, através da bola parada. Em cobrança de escanteio, Marcos Assunção levantou com veneno no primeiro pau. Luan e Alê subiram para disputar a bola e fecharam a visão do goleiro Renan Ribeiro, que nada pôde fazer - a arbitragem deu gol olímpico.

 

Preocupado com o rebaixamento no Brasileirão, o técnico Dorival Júnior só colocou alguns dos titulares no decorrer do segundo tempo. Serginho, Nicão e Diego Tardelli entraram e equilibraram a partida. Aos 27 minutos, Serginho levantou na área e Ricardo Bueno desviou de cabeça. Deola voltou a salvar o Palmeiras com um tapinha.

 

A angustia do torcedor do Palmeiras durou até os 33 minutos da etapa final. Em rápido contra-ataque, Tinga levou pela direita e tocou para Lincoln. O meia fez belo passe para Luan, que dominou e bateu cruzado para estufar as redes de Renan Ribeiro. O gol do camisa 21 matou qualquer chance de reação do Atlético-MG.

  PALMEIRAS 2 - Deola; Márcio Araújo, Danilo, Maurício Ramos e Gabriel Silva ; Edinho, Tinga , Marcos Assunção e Valdívia (Lincoln) (Dinei); Kleber e Luan  (Pierre). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

  ALTÉTICO-MG 0 - Renan Ribeiro; Cáceres, Lima e Jairo Campos ; Diego Macedo (Nicão), Fabiano (Diego Tardelli), Alê (Serginho), Mendez e Fernandinho; Neto Berola  e Ricardo Bueno. Técnico: Dorival Júnior.

Gols - Marcos Assunção, aos 26 minutos do primeiro tempo; e Luan, aos 33 minutos do segundo tempo; Árbitro - Leandro Pedro Vuaden (RS); Público - 35.054 pagantes; 35.985 (total); Renda - R$ 762.160,00; Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.