Palmeiras: Pedrinho renova até dezembro

"O Felisbino é um grande jogador, tem um ótimo caráter e vai chegar na seleção. Ele que vá com Deus. O Palmeiras é muito grande para pensar no Felisbino." Dessa irônica forma, tratando o meia Richarlyson pelo sobrenome, o diretor de Futebol do Palmeiras, Salvador Hugo Palaia, mostrou seu descontentamento com a atitude do ex-jogador do Santo André, que assinou contrato com o São Paulo depois de ter assinado carta de intenção com o Palmeiras e ter feito até os primeiros exames médicos. Em resposta, o Palmeiras correu e fechou a renovação de contrato de Pedrinho, que chegou a ser pretendido pelos são-paulinos, até o fim do ano. Já o atacante Osmar e o meia Marcel foram emprestados ao Grêmio e, embora restem alguns detalhes para assinarem contrato, hoje já se despediram dos colegas durante o treino do Palmeiras. Palaia fez duras críticas a Richarlyson e ao procurador José Alvez Zanata, que participou das negociações com os dois clubes, mas isentou o São Paulo de culpa. "É um dia muito feio para o futebol paulista. O atleta tem que saber escolher seu procurador. Quando não há mais respeito pela palavra, não sei para onde estamos caminhando", disse o dirigente. "Tenho certeza que o São Paulo não sabia dessa carta e está constrangido. A única divisão entre o Palmeiras e o São Paulo é o muro do CT." Pedrinho, por outro lado, estava contente com a renovação. "Infelizmente aconteceram problemas de contusão e isso me atrapalhou muito, mas não tive culpa em nenhum dos lances e sempre fiz tudo para me recuperar. Espero conseguir o que sempre quis desde que cheguei, que é conquistar um título." Apesar do contrato novo, Pedrinho não joga no sábado, contra o Goiás, por estar em fase final de recondicionamento físico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.