André Fabiano
André Fabiano

Palmeiras perde a segunda seguida e cai para terceiro no Brasileiro

Alviverde cai na tabela com derrota por 3 a 1 para o Botafogo

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2016 | 20h29

Em uma noite em que deu praticamente tudo errado, o Palmeiras perdeu para o Botafogo por 3 a 1, no estádio Luso-Brasileiro e caiu para o terceiro lugar, em um dia em que poderia ter aberto até cinco pontos de vantagem na liderança do Brasileiro. Pior do que deixar a ponta, foi a má sequência de notícias ruins recebidas pelos palmeirenses.

Com o resultado, o Palmeiras, que vinha de uma derrota em casa para o Atlético-MG, permanece com 32 pontos e caiu para o terceiro lugar. Já o Botafogo chega aos 20 e se afasta da zona de rebaixamento.

A primeira má notícia do dia foi a confirmação da lesão do goleiro Fernando Prass, que passará por cirurgia no cotovelo direito e não deve jogar mais esse ano. Horas depois, funcionários do Palmeiras que estavam indo para o jogo, sofreram um acidente de carro, mas nada de grave aconteceu. Em campo, Corinthians e Santos venceram, respectivamente, o Internacional e o Cruzeiro. Assim, o Palmeiras entrou em campo em terceiro lugar e pressionado.

Cuca mostrou que sua intenção em voltar a ter uma referência na área não era apenas um blefe para tentar confundir o técnico Ricardo Gomes. De fato, ele colocou Leandro Pereira e tirou Dudu da equipe, entretanto, a mudança parece ter confundido mesmo foi o time do Palmeiras. Além do time ter tido sérias dificuldades táticas, o treinador ainda surpreendeu ao tirar o melhor atacante da equipe.

Sem Dudu, o Palmeiras perdeu uma boa parte de sua velocidade no ataque e aquela pressão habitual em cima dos adversários, corriqueiro nos minutos iniciais de jogo, deu lugar a um time lento e facilmente batido pelo Botafogo, que tinha em Neilton e Camilo, os dois diferenciais na partida.

Acuado, o Palmeiras tentava afastar o Botafogo através de chutões para frente, sem qualquer organização. Cleiton Xavier e Moisés, que deveriam ser os organizadores do time, não conseguiam sair da marcação e isso fez com que a equipe de Ricardo Gomes dominasse a maior parte do primeiro tempo.

Após muita pressão, aos 18, Róger Guedes perdeu a bola no campo de defesa, Lindoso ficou com a bola, deu belo lançamento para Neílton, que dominou, ganhou na corrida de Zé Roberto e bateu cruzado para abrir o placar. A movimentação no marcador não alterou o cenário do jogo. O Palmeiras continuava fazendo sua pior atuação no Brasileiro e o Botafogo aproveitava. Aos 34, Neílton avançou pela esquerda, deu um drible desconcertante em Jean e Edu Dracena e bateu com categoria na saída de Vagner, para fazer um lindo gol.

Enfim, o Palmeiras acordou e resolveu colocar a bola no chão, trocar passes e tentar envolver o adversário. Foram pelo menos duas boas oportunidades em que o goleiro Sidão precisou trabalhar com qualidade.

No segundo tempo, Cuca colocou Rafael Marques e Dudu, em busca de melhor qualidade no toque de bola. Nos minutos iniciais, o time até mostrou um pouco mais de organização e acertou a trave, em finalização de Erik. Com o passar do tempo, o ritmo da equipe alviverde voltou a cair e quando parecia que a equipe aceitaria a derrota, Moisés arriscou um chute de fora da área, Sidão rebateu e Érik, aos 32, descontou.

O Palmeiras partiu com tudo para cima, pois um empate o deixaria na liderança. Até que aos 40, Vagner derrubou Vinicius Tanque. Camilo bateu o pênalti e acabou com a esperança e com a triste noite dos palmeirenses.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 3 X 1 PALMEIRAS

GOLS - Neílton, aos 18 e aos 34 do 1 º tempo; Érik, aos 32; Camilo, aos 41 do 2º tempo.

BOTAFOGO (4-2-2) - Sidão; Luís Ricardo, Emerson, Renan Fonseca e Diogo Barbosa; Aírton, Bruno Silva, Rodrigo Lindoso (Dudu Cearense) e Camilo (Salgueiro); Canales (Vinícius Tanque) e Neílton. Técnico: Ricardo Gomes.

PALMEIRAS (4-3-3) - Vagner; Jean, Edu Dracena (Thiago Martins), Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Moisés e Cleiton Xavier (Rafael Marques); Róger Guedes (Dudu), Érik e Leandro Pereira. Técnico: Cuca.

JUIZ - Heber Roberto Lopes (SC).

CARTÕES AMARELOS - Diogo Barbosa, Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo, Airton, Bruno Silva, Canales.

PÚBLICO - 7.743 pagantes.

RENDA - R$ 254.040,00.

LOCAL - Luso-Brasileiro, no Rio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.