Eduardo Martins/A Tarde
Eduardo Martins/A Tarde

Palmeiras perde e desperdiça chance de disparar na ponta

Fora de casa, equipe alviverde é superada pelo Vitória por 3 a 2, mas segue na liderança do Brasileirão

Rafael Vergueiro, estadao.com.br

13 de setembro de 2009 | 17h52

O Palmeiras perdeu na tarde deste domingo uma grande chance de disparar na ponta da tabela do Campeonato Brasileiro. No Estádio do Barradão, em Salvador, foi derrotado pelo Vitória por 3 a 2 e só não deixou a liderança porque contou com uma bela contribuição do Internacional, que mesmo jogando em casa foi superado pelo Cruzeiro também por 3 a 2.

Veja também:

linkMuricy afirma que Palmeiras errou muito

som Ouça os gols da partida - Vitória 1 x 0 Palmeiras; Vitória 1 x 1 Palmeiras; Vitória 2 x 1 Palmeiras; Vitória 3 x 1 Palmeiras; Vitória 3 x 2 Palmeiras;

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com os resultados da 24.ª rodada da competição, o time alviverde ainda lidera com 44 pontos, contra 43 de Inter (2.°) e São Paulo (3.°). Já o Vitória, com 33 pontos, continua na zona intermediária da tabela de classificação.

O time alviverde, que volta a perder após três confrontos de invencibilidade, sentiu muita falta do suspenso Diego Souza na partida. Souza formou o meio campo ao lado de Edmílson e Cleiton Xavier, mas claramente a equipe teve menos criatividade do que nos últimos jogos.

Para piorar a situação, o goleiro Marcos estava em dia pouco inspirado e falhou em pelo menos dois dos três gols dos baianos. Já Obina saiu lesionado ainda no primeiro tempo, mas foi bem substituído por Robert, que marcou os dois gols dos visitantes.

No Vitória, destaque para Neto Berola, que foi um tormento para a defesa palmeirense durante os 90 minutos e acabou sendo premiado com um gol. Os outros dois dos mandantes foram anotados por Uelliton e Derley.

Agora, o Palmeiras terá um bom tempo de folga no Brasileirão e só volta a entrar em campo no dia 23, quando pega o Cruzeiro no Mineirão. Já o Vitória recebe o Inter no próximo sábado.

INUSITADO

Um dos maiores ídolos da história do Palmeiras, o goleiro Marcos parece não ter sorte contra o Vitória. A atuação do goleiro, que costuma salvar a equipe na maioria das partidas, foi determinante para a derrota em Salvador.

Em 2002, quando os baianos golearam os paulistas pela Copa do Brasil por 7 a 2 no Palestra Itália, Marcos passou o maior vexame de sua carreira. Qu

 Vitória3
Viafara; Apodi, Fábio Ferreira, Wallace e Leandro; Vanderson, Uelliton, Ramon (Carlos Alberto) e Leandro Domingues (Gil); Neto Berola (Derley) e Roger
Técnico: Vagner Mancini
 Palmeiras2
Marcos; Danilo    , Maurício     (Sandro Silva) e Marcão; Wendel (Ortigoza), Souza, Edmílson, Cleiton Xavier e Armero; Obina (Robert    ) e Vágner Love
Técnico: Muricy Ramalho
Gols: Uelliton, aos 19, e Robert, aos 39 minutos do primeiro tempo; Neto Berola, aos 25, Derley, aos 39, e Robert, aos 43 minutos do segundo tempo

Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)

Estádio: Barradão, em Salvador (BA)

ando o jogo já estava decidido, saiu para chutar uma bola fora da área, furou feio, e permitiu o sétimo gol do adversário.

E neste domingo o Vitória começou a construir o triunfo justamente em um erro do goleiro, que aos 19 minutos, após cruzamento de Ramon em cobrança de falta, socou a bola na cabeça de Uelliton e viu ela morrer no fundo do gol.

Já aos 37, em saída errada de Marcos no tiro de meta, o Vitória quase ampliou, mas o goleiro se recuperou a tempo de tirar de carrinho a bola dos pés de Neto Berola. Depois disso, discutiu com os zagueiros e não se entendeu mais com a defesa até o término da partida.

Mesmo assim, em bela troca de passes entre Armero e Souza, o Palmeiras chegou ao empate aos 39, com Robert de cabeça. No entanto, a reação parou por aí e o segundo tempo foi de festa para os baianos.

VELOCIDADE

Os palmeirenses bem que tentavam pressionar, mas o Vitória aproveitou a instabilidade do sistema defensivo adversário para matar o jogo. Aos 25, em bela arrancada de Leandro Domingues no contra-ataque, ele cruzou para a área e Roger chutou, torto, mas Neto Berola mostrou oportunismo para deixar a sua marca.

O gol deu a tranquilidade que o time da casa precisava. Neto Berola continuava incomodando com belas jogadas, mas o gol do triunfo saiu em um escanteio cobrado por Ramon, aos 39. Mal Posicionado, Marcos socou a bola para o meio da área. E, Após tentativa de Roger, Derley só teve o trabalho de empurrar para as redes.

Aos 43, em passe bonito de Ortigoza, Roberto ainda diminuiu. O paraguaio ainda teve chance de deixar tudo igual aos 47, mas errou o cabeceio e não conseguiu evitar o resultado negativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.