Paulo Pinto/AE
Paulo Pinto/AE

Palmeiras perde para a Ponte Preta e se complica

Ineficiente e irritando a torcida. O time da casa pouco fez e perdeu por 2 a 0 para uma equipe que soube fazer gols nas chances que teve - com Diego e Finazzi, que desperdiçou pênalti. A derrota diminui a chance de classificação no Paulistão

Tercio David, estadão.com.br

20 de março de 2010 | 18h56

SÃO PAULO - Muita pressão, pouca eficiência e castigo no final. O Palmeiras foi surpreendido em casa e perdeu para a Ponte Preta, por 2 a 0, em pleno Estádio do Palestra Itália, em São Paulo, pela 15.ª rodada do Paulistão. Diego e Finazzi marcaram os gols do jogo, mas o destaque do jogo foram os goleiros, com o palmeirense Marcos pegando pênalti no fim e o ponte-pretano Eduardo Martini fazendo pelo menos duas defesas sensacionais.

Veja também:

linkMarcos: falta de regularidade atrapalha

lista PALMEIRAS - As notícias do time

lista PONTE PRETA - As notícias do time

lista PAULISTÃO - Leia mais do torneio

tabela Classificação | lista Tabela

Com o resultado, o Palmeiras permanece com os mesmos 22 pontos que tinha alcançado no último final de semana, após a vitória sobre o Santos, e ficou mais longe da classificação para a semifinal. Já a Ponte Preta, agora com 24 pontos, supera o próprio Palmeiras na tabela e fica a dois pontos do G-4.

Na próxima rodada do Paulistão, o Palmeiras enfrenta o Rio Branco, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara, na quarta-feira, às 19h30. No mesmo dia e horário, a Ponte Preta recebe o Rio Claro, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

DOIS MILAGRES

O primeiro tempo foi pouco futebol e muita marcação. Mas apesar disto, o Palmeiras ainda teve duas grandes chances de abrir o marcador, o que só não aconteceu devido a duas intervenções precisas de Eduardo Martini.

A primeira foi na cabeçada de Cleiton Xavier, que o goleiro foi buscar no ângulo e botou para escanteio. A segunda defesa, de cinema, aconteceu instantes de pois, quando Cleiton Xavier bateu escanteio na cabeça de Danilo, que desviou com firmeza, buscando o canto rasteiro de Martini, que mergulhou ao estilo "Gordon Banks" para salvar a Ponte.

DOIS GOLS

Timidamente a Ponte Preta aproveitou as poucas chances criadas no jogo para vencer. Após cobrança de um raro escanteio, Finazzi cabeceou e acertou o travessão, mas o zagueiro Diego estava no lugar e na hora certa para emendar de primeira, no canto esquerdo de Marcos.

Abalado, o Palmeiras sofreu o segundo gol logo em seguida. Deda descolou ótimo cruzamento para Finazzi desviar no contrapé de Marcos e dar números finais ao placar.

O placar, aliás, só não foi mais elástico porque Marcos pegou uma cobrança de pênalti de Finazzi, já nos descontos da partida.

DEDICATÓRIA

Marcos queria a vitória do Palmeiras para dedicar à mãe, que completa 72 anos neste sábado, mas não foi possível. Mesmo assim, o goleiro ainda pode dar um presente.

"Gostaria de ter vencido para dedicar o resultado à minha mãe, mas não deu. Pelo menos peguei um pênalti no final. Então, dedico a defesa a ela. Beijo, mãe", comemorou, timidamente, o camisa 12, na saída do gramado.

 PALMEIRAS 0 - Marcos; Márcio Araújo  , Danilo, Gualberto e Armero; Pierre  (Ivo); Edinho (Lenny), Cleiton Xavier, Diego Souza  ; Ewerthon e Robert. Técnico: Antônio Carlos.

 PONTE PRETA 2 - Eduardo Martini; Marcos Rocha  , Diego, Léo Oliveira e Vicente; Deda, Danilo Portugal  (Galiardo), Pirão e Tinga (Manteiga); Fabiano Gadelha (Finazzi) e Otacílio Neto  . Técnico: Sérgio Guedes.

Gols: Diego, aos 37, e Finazzi, aos 41 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Leonardo Ferreira Lima.

Renda: R$ 480.060,00.

Público: 17.255 pagantes.

Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP).

Paulo Liebert/AE

Marcos pega cobrança de pênalti de Finazzi e impede o terceiro gol da Ponte Preta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.