Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras perde para o Avaí e desperdiça chance de assumir 2º lugar

Time vai mal em Florianópolis, perde por 2 a 1 e continua atrás do Grêmio na disputa pela vice-liderança do Brasileiro

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

20 Novembro 2017 | 21h59

A ambição do Palmeiras em passar o Grêmio e ser vice-campeão brasileiro esfriou nesta segunda-feira. Uma atuação ruim, marcada por falhas da defesa, decretou a derrota por 2 a 1 para o Avaí, na Ressacada, e manteve a equipe paulista em terceiro lugar na competição. Mesmo já garantido na fase de grupos da Copa Libertadores, o time não teve um futebol à altura da posição na tabela e perdeu para um rival que luta contra o rebaixamento.

+ LANCES: Avaí 2 x 1 Palmeiras

+ Palmeiras tenta acordo para trazer goleiro Weverton

No encontro entre o Avaí, movido pelo desejo de evitar a queda, contra o Palmeiras, com pouca ambição além de ser vice, ficou evidente a diferença de metas neste fim de Brasileiro. Mesmo inferior tecnicamente, a equipe catarinense soube o momento de explorar o posicionamento ruim da defesa e a aguentar ao máximo a  pressão. O limite foi até o adversário resolver pressionar de vez e se empenhar como não havia feito na partida.

Focado em buscar o segundo lugar para receber mais premiação e com chance de passar o Grêmio, o Palmeiras não demonstrou no começo do jogo estar tão empenhado em busca desse objetivo. Pela primeira vez neste Brasileiro a equipe entrou em campo já garantida na fase de grupos da Copa Libertadores, o que possivelmente justifica o estilo cadenciado e pouco efetivo do primeiro tempo.

O Palmeiras dominou as ações e passou a maior parte do tempo no ataque, com trocas de passes para o lado e uma repetida insistência em chutar, mesmo quando a melhor escolha talvez fosse trabalhar mais a jogada. Fora uma finalização na travessão de Tchê Tchê, as outras tentativas passaram para longe do gol.

O comando no jogo não solucionava o recorrente defeito de a defesa jogar com a linha adiantada e com pouca cobertura. Após sustos no primeiro tempo, logo na primeira investida do Avaí na segunda etapa Maurinho furou a marcação, entrou livre na área e foi derrubado por Prass. Marquinhos converteu o pênalti aos 12 minutos para abrir o placar a favor dos catarinenses.

O defeito defensivo palmeirense não foi arrumado a tempo de evitar o 2 a 0. Com a defesa avançada e sem proteção, Lourenço saiu livre e tirou de Prass para ampliar, aos 16 minutos do segundo tempo. A desvantagem fez o Palmeiras reagir, colocar mais um atacante (Willian) e procurar pressionar. Pouco depois de chute na trave, Keno diminuiu, aos 29.

A partir daí só deu Palmeiras. O técnico Alberto Valentim deixou o time com cinco atacantes de origem com a entrada de Deyverson e procurou acuar o Avaí. Foi uma reação tardia e pouco produtiva de quem poderia ter tido atitude mais aguda desde o começo. O goleiro Kozlinski fez boas defesas. Por fim, mereceu ganhar quem teve mais empenho e conseguir voltar a ganhar em casa depois de três meses.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ 2 X 1 PALMEIRAS

AVAÍ: Kozlinski; Maicon, Fagner Alemão, Betão e João Paulo; Judson, Pedro Castro, Maurinho (Wellington Simião) e Marquinhos; Júnior Dutra (Luanzinho) e Rômulo (Lourenço). Técnico: Claudinei Oliveira.

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Mina, Luan e Michel Bastos; Thiago Santos (Willian), Tchê Tchê (Deyverson) e Moisés; Dudu, Keno e Borja. Técnico: Alberto Valentim.

Gols: Marquinhos, aos 12, Lourenço, aos 16, Keno, aos 29 minutos do segundo tempo

Cartão amarelo: Fernando Prass, Wellington Simião, Kozlinski e Willian

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)

Renda: R$ 234.920,00

Público: 11.082 torcedores

Local: Ressacada, em Florianópolis

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.